10 abril 2012

Lá vamos nós...

Imagem extraída do blog do Carlos A. Oliveira, publicação do dia 25/10/2010
Para os que perderam a oportunidade da semana passada, estamos lançando mais uma postagem extra (facultativa) para alunos e seguidores de nosso blog!
A imagem acima diz respeito a duas fotos originais, em que o revolucionário russo Leon Trotsky foi apagado pelo o governo de Stálin após divergências políticas na década de 30, mais especificamente.
As imagens retratam dois momentos distintos, o primeiro momento retrata o discurso de Lenin aos soldados russos em 1920 e o segundo a celebração do segundo aniversário da Revolução de Outubro em 1919.
Como vocês acham que essas alterações nas fotos foram feitas em meados da década de 20-30?
Somado ao ponto extra pelo comentário, o aluno que for mais criativo e sensato para tal proposição ganhará um prêmio surpresa na próxima aula (13/04)!
Para complementar as suposições, vocês deverão discorrer sobre as imagens e suas alterações baseando os argumentos no texto do professor André, Foto. Sintam-se livres nas análises a serem feitas aos aspectos e características imagéticas e concentrem-se nas  características diplomáticas.
Os comentários não deverão ultrapassar 15 linhas.

Vocês tem até quinta-feira, 12/04 às 23:59 para postarem.
Boa-sorte!!!


_____________
Héllen Moura

33 comentários:

  1. . Ao se analisar a imagem é possível constatar o extremo envolvimento político com as fases de sua criação, levando-se em conta a legitimidade de uma fotografia que não era caracterizado como algo discutível, as questões técnicas para a época e os interesses de poder de forma geral. A veracidade da informção, o fato de se analisar a foto com a preocupação de se verificar a autenticidade, a real situação de que uma delas trata, a fidelidade para com a realidade que uma delas não demonstra, é o interesee do daquele que explora a finalidade da foto - mostrar quem realmente ascendia ao poder, quem deveria se destacar perante a nação, nos jornais, na multidão - de quem explora sua função - que tinha a ver com a expulsão ainda que em foto, do que era repudiado, no caso Trotsky, e o seu contexto de produção , que além de se basear no interesse político, se construía em cima de poderosos que queriam se perpetuaer no liderança e que faziam uso de alteração de registrro para deixar uma verdade construída e não a real. Há um problema de autenticidade - oque ficou nnão é o autentíco. AS A alteração fez da foto algo autêntico por anos para muita gente , mesmo não sendo a autêntica.

    ResponderExcluir
  2. Victor Valente 10/002170111 de abr de 2012 13:09:00

    "En el caso de los documentos fotograficos, el concepto de 'especie' es de dificil empleo, debido a sua definición formal que es demasiado amplia. Una diferencia básica entre la 'especie documental' y la 'especie documental diplomática'se encuentra en el uso o no de fórmulas establecidas según las disposiciones y la naturaleza de las informaciones..." Conforme nesta citação do texto do professor, acredito que não há como afirmar a fraude da foto anterior pelos meios tradicionais, este caso é muito mais amplo e vai envolver todo um contexto histórico que vai acabar por validar a segunda foto como autêntica. Por tanto ambas são autenticas porque o contexto histórico é autentico. Acredito que essa manipulação foi feita assim. A parte a ser retirada foi tampada com uma figura e fotografada, assim se produz uma nova foto sem o elemento.

    ResponderExcluir
  3. Jéssyca Cardoso Silva - 10/0054528
    Concordo com o Victor quando ele diz que as fotos são autenticas, independente da fraude ocorrida na segunda fotografia, porque o contexto histórico é autentico. Na minha opinião as fotos foram falsificadas da seguinte forma, o pedaço a ser ocultado da foto foi cortado com algum instrumento bem afiado e foi utilizado algum instrumento para preencher o vazio e assim foi tirada outra fotografia da foto modificada. Nossa, acho que viajei um pouco, mas é isso ai.

    ResponderExcluir
  4. Murilo R B Coelho - 10/0018246
    Como o Dyenison falou, por várias pessoas a segunda foto também passou a ser autentica. Acreditarem na foto, até mesmo por quê a imagem real, original de uma foto pode ser destorcida muito fácil.
    Imagino que nessa situação, tenha sido um pouco mais dificil pela tecnologia que temos atualmente e não havia naquela epoca. Eu acho que o autor dessa fraude pegou um lápis branco, na primeira foto, e esfumaçou ela. Na segunda, um lápis preto e a esfumaçou também :P hehe

    ResponderExcluir
  5. As fotografias foram alteradas por motivos de desentendimentos políticos, o contexto dessas fotografias remete um tempo de conflitos ideológicos, sociais e de poder. A alteração representou uma tentativa de apagar Trotsky da história por ser inimigo de Stalin , porém foram usadas formas primitivas de falsificação, parece que cortaram ele(Trotsky) de uma foto e colocaram algo pra “borrar”, ou tampar ele da foto e tiraram outra fotografia e no lugar que seria ele, ficou a mancha. No contexto que essa fotografia foi inserida ( década de 20 e 30) ela era autêntica, porque quem estava do poder detinha da força de manipular a opinião das pessoas, que não sabiam da falsificação e a fotografia dizia o que os líderes diziam, então em relação a esses aspectos , o contexto determina a autenticidade.

    Luiza de Lima e Silva 10/0016499

    ResponderExcluir
  6. A respeito da crítica sobre a alteração da foto dentro de seu contexto, posso acrescentar que o primeiro computador totalmente eletrônico foi criado em 1945 - ENIAC com 18.000 válvulas e 1.500 relés, foi utilizado ate 1952 para fazer cálculos simples e não utilizavam se quer telas para visualização de dados - após este surgem outros que ainda não poderiam atuar na alteração virtual de uma imagem como hoje conhecemos. Pressuponho que dentro da década de 20-30 como sugerida a alteração, possa ter sido feita por meios manuais (como recorte de fotografia da fotografia) mesmo, ainda acreditando ser inviável. Logo mesmo com as divergências políticas da época, a foto provavelmente foi editada muito posteriormente com intuito de provar algo em outro momento da política. Levando para o lado da documentação em si, não faço distinção somente com as fotos de qual é ou não verídica, porém as duas são autenticas pelo contexto. Para conseguir uma análise completa das fotos, deveria-se pesquisar quem são as pessoas que foram acrescentadas/subtraídas e juntar com o estudo sobre a política da época para julgar uma possível hipótese do motivo da alteração

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Cada imagem é autentica, pois exprimi um contexto, mas as fotos modificadas não possuem veracidade, uma vez que foi feita uma manipulação para se reescrever o passado e transmitir uma mensagem não real.
    Na primeira imagem eles aumentaram o tamanho do palco, acrescentado certas partes a original, para se sobrepor às pessoas que eles queriam omitir.
    Na segunda imagem quatro pessoas foram omitidas e a imagem está mais escura. Algumas pessoas que foram retiradas da primeira foto estavam tampando certas partes dos integrantes de atrás, não há como terem feito uma recolagem na foto porque ainda assim faltariam essas partes e teriam que ser reconstituídas, assim sendo elas eram desenhadas para recompor as imagens e depois tiravam uma nova foto da foto modificada.
    (Parece um jogo dos sete erros)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na verdade, basta tirar uma foto do local aproximado, vazio, q vc tera o "fundo" da imagem, ai vc pode recortar, colocar por cima de uma parte da original e retirar uma nova foto...

      Excluir
    2. Bem mais fácil compor essa imagem desenhando, que na minha opinião é o que eles faziam na época. Como eles iriam reconstruir parte do rosto de uma pessoa? Iam atrás dela pra tirar uma foto e compor a modificada?

      Excluir
    3. hahahahahahaha
      tipo isso, Kelen!!

      Excluir
  10. Acredito que a forma utilizada para alterar a imagem tenha sido a partir de alguma técnica de restauração. Recortando a parte indesejável e colocando um novo papel por trás da foto, ela seria modificada, assim como nos casos em que a foto ou documento tenham sofrido algum tipo de deterioração, e mereça ser restaurado, tendo em vista sua importância. Digo que acredito pois pesquisei somente em um texto que fala que as técnicas de restauração datam do tempo dos antigos gregos, sendo assim acredito ser uma possibilidade. Acredito também, como já abordado pelos colegas, que as fotos sejam autenticas pois indicam um contexto, mas acho que não possuem veracidade pois ambas sofreram transformações.
    Link do texto sobre conservação:http://www.conservacao-restauracao.com.br/resumo_da_historia.pdf

    ResponderExcluir
  11. Lembrando que a restauração não foi feita por motivos de degradação do suporte da informação, e sim por motivos políticos como apresentou muito bem a Luiza em seu comentário.

    Nome: Leonardo de Sousa - 10/0015280

    ResponderExcluir
  12. Inseridas em seu contexto, tanto a foto "original" quanto a "manipulada" são autênticas, nesse ponto concordo com o Victor e com o Dyenison, o que me intrigou de fato foi a questão da modificação da fotografia, não sei se fui só eu mais alguns elementos não batem no momento da comparação, a somatória de elementos não bate, a inclinação e angulação também não conferem, a iluminação está alterada, o que me leva a crer que as fotos são distintas, ou seja, a segunda fotografia sem Trotsky foi uma cena forjada e fotografada. (Teoria da conspiração modo ON).

    ResponderExcluir
  13. O processo de edição de imagens (fotomontagens)é quase tão antigo quanto a invenção da fotografia, portanto, não é característica inerente aos tempos modernos e suas câmeras analógicas aliadas a programas de edição. Nas máquinas analógicas, o processo de fotografar se baseava na luz que incidia sobre as lentes das câmeras que por sua vez refletiam dentro da câmara escura e a partir daí ocorria um processo químico que gravava essa luz em um suporte. A diferença desse processo para o que encontramos em máquinas digitais, hoje, é que no processo de gravação, ao invés da luz ser gravada em uma material químico há uma conversão dos sinais luminosos para elétricos que é gravado em uma espécie de disquete. A fotomontagem é feita a partir dos negativos, é artesanal e com a interferência do próprio fotógrafo, simula o mesmo processo de fotografia da câmera analógica, simulando a luz em um quarto escuro com a ajuda de uma luz vermelha que desenha as imagens que se quer, modificando-as tal qual fazemos hoje. Acredito que nas imagens acima, esse processo tenha ocorrido da mesma forma, modificando os negativos e criando as imagem a partir de outra imagem.

    Pesquisei para entender os processos porque não tinha idéia de como sair disso. Acabou que foi muito útil. Vou disponibilizar alguns links que me ajudaram.

    http://www.photoshopaqui.com/2011/08/edicao-de-imagens-antes-do-photoshop.html

    http://www.fotografiacontemporanea.com.br/artigo.php?id=31

    http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=3870

    http://www.e-farsas.com/a-primeira-fotomontagem-da-historia.html

    ResponderExcluir
  14. Também concordo com o Blener, também acho que são fotos distintas. Tanto a 1ª quanto a 2ª possuem, iluminação e angulação diferentes. A foto do palanque com Trotsky possui dois guardinhas(suponho pelo tipo de chapéu) virados para o público, já na outra eles estão virados para o palanque. Além disso o palanque está maior na 2ª com uma pessoa diferente mais ou menos na posição em que estava Trotsky. As fotos são autênticas para os contextos que querem retratar respectivamente.

    ResponderExcluir
  15. Roseane Mina Iha
    Matrícula: 10/0039928

    Na foto do discurso de Lenin, acredito que existem duas fotos foi tiradas em dois momentos distintos por causa da variação dos movimentos e ângulos das pessoas, assim, justificando a ausência de alguns indivíduos. Na segunda foto, da celebração do segundo aniversário da Revolução de Outubro em 1919, acredito que foi utilizado algum tipo de solvente para apagar os indivíduos indesejáveis na foto, pois a área onde estas pessoas estavam não apresenta uma nitidez e sim um borrado.
    As fotos podem ser comparadas com o caso exposto no texto do Arquivo de Negativos da cidade de São Paulo, onde a parcialidade de uma equipe técnica ou de pessoas específicas aplicada na seleção das imagens ou das pessoas que estariam presentes nas imagens determinou a orientação dos trabalhos destes, afetando assim, seus contextos arquivísticos, podendo inclusive impedir a reconstituição da organicidade dos mesmos. Acredito que também com a modificação da foto mostrada na tarefa, houve uma recontextualização da imagem de acordo com o interesse de particulares, resultando na produção de um outro documento, havendo também a possibilidade de o documento não possuir a capacidade de sustentar os fatos a que se refere. Sem o contexto do documento também se torna quase impossível definir a função arquivística do documento segundo o texto do Lopez, e consequentemente dificulta a definição da espécie documental. Estas são algumas das características essenciais que fazem que o documento arquivístico seja um documento comprobatório, histórico ou administrativo.

    ResponderExcluir
  16. Se caracterizarmos essa foto como um documento arquivistico, podemos dizer que ela foi produzida num contexto e serve como elemento de prova ou registro histórico, a alteração feita na foto compromete o registro e a capacidade de prova do documento. Temos que um documento é autentico quando ele pode exercer a plenitude de sua função administrativa, inclusive em termos legais. Essa foto se utilizada como elemento de prova, pode trazer distorções com relação à realidade dos fatos ocorridos naquele momento. Por isso para mim não é autentica. A veracidade para mim é caraterística desse documento, pois independente da alteração, aquele momento realmente ocorreu e foi registrado pela fotografia. A alteração parece ter sido feita de forma simples, pintando a imagem as imagens onde ele estava com borrões cinza e preto.

    ResponderExcluir
  17. Ambas as fotos retratam momentos históricos tensos, cujos resultados são reflexos de interesses políticos, razão pela qual a manipulação foi utilizada como recurso do governo para exprimir sua visão dos fatos e, assim, “produzir” a sua versão dos fatos, construindo uma “história” que favorecesse o governo. Omitir os fatos como ocorreram foi o artifício para impor a versão da história sob o ponto de vista do governo. As abordagens e questionamentos que agora fazemos certamente não seriam propostos no contexto em que ambas as fotos foram produzidas. As funções e motivos pelas quais foram produzidas atenderam, primeiramente, aos interesses dos políticos da situação. A princípio foi produzida uma fotografia pelos métodos tradicionais, pela forma forma analógica e revelação, posteriormente, sobre a versão impressa foram feitas as alterações com a finalidade de apagar aquilo que não se queria expor. Como o próprio texto do professor André diz,os documentos fotográficos mostram uma tendência acentuada para a apreciação das possibilidades de utilização das suas informações, relegando para segundo plano o contexto de produção. Suponho que haja sido feito um recorte posteriormente colado na fotografia para apagar os aspectos que não se quer na original. Outra alteração poderia ter sido feita através do uso de tinta, que apagaria, como aparentemente se mostra, traços escuros na foto alterada.

    ResponderExcluir
  18. De acordo com o exposto pelos colegas, creio que a primeira fotografia não é igual à segunda, pois podemos ver que os movimentos em cada uma delas são distintos. Com isso as autenticidades das fotografias vão de acordo com o contexto ao qual elas foram inseridas. A função de cada uma delas está em torno da área da política e elas foram usadas pra omitir algum fato, deixando clara a manipulação do governo da época. As alterações feitas nas fotos podem ter sido realizadas por um jogo de luz durante até mesmo a revelação das fotos.

    Nome: Raíza Cristina
    Matrícula: 10/0019790

    ResponderExcluir
  19. Bom, na minha teoria as segundas fotos do primeiro e segundo grupo poderiam ter sofrido o processo de sobreposição de negativos. Para isso o artista tinha que ter os negativos das segundas fotos para poder adulterá-las depois. Então vou explicar. Foi pego os negativos das segundas fotos tiradas. Em seguida, foi pego outros negativos que continham somente as cores de fundo na aérea em que as pessoas indesejadas estavam ou outros negativos que tinham outros ângulos de imagens. Em seguida sobrepõem os dois negativos e revelou, assim tirou as pessoas indesejadas. Espero que eu não tenha viajado muito.
    Agora em se tratando da diplomática, no primeiro grupo de imagem a primeira fotografia no canto superior esquerdo tem uma espécie de assinatura e a segunda foto não tem além de outros detalhes que faltam. Isso significa que as fotos são diferentes e uma não é cópia da outra. O segundo grupo de imagem reflete a mesma coisa, são fotos com ângulos diferentes. Enfim, as fotos têm um valor histórico e indicam contextos diferentes, por exemplo, a as fotos adulteradas contam a histórias da manipulação do governo da época e as primeiras fotografias contam a história da revolução russa em outros parâmetros. O texto do professor relata que os documentos fotográficos poderão ter várias possibilidades de utilização da informação contidas neles, mudando de importância no seu contexto de produção.

    ResponderExcluir
  20. Conforme Wiki:"... as fotografias foram cortadas com um bisturi afiado, e ocultam o corte com um aerógrafo (instrumento utilizado para realizar pinturas através do ar provido de uma fonte de ar comprimido gerado por compressor de ar ou por latas de spray, onde a tinta é expelida pela pressão da fonte de ar. Consiste em um equipamento com gatilho que controla o jato de ar, de modo a projetar o jato no local desejado, sugando de um recipiente (copinho embaixo), ou por pressão através de tinta em gravidade (copinho em cima) a tinta previamente diluída para facilitar a circulação do fluido) para voltar a fotografar novamente a foto modificada." Observamos algumas contantes A foto adulterada é mais escura o que lembra cópias de cópias e perda de qualidade. Imagens indesejadas são excluidas e fotos são adulteradas para obter a impressão de aglomeração. Uma possibilidade de detecção de adulterações seria submeter as fotos a testes de idade, imagens microscópicas para detectar cortes e sobreposições e análise da tecnologia utilizada (se existia na época da suposta foto0. Como a prática foi supostamente adotada por um regime de governo podemos ter noção da importancia de documentos na reconstrução de fatos. A guarda aliada a métodos eficazes de autenticidade é a malhor forma de garantir a preservação de fontes confiáveis.
    JOANA 09/0026551

    ResponderExcluir
  21. As fotos são autênticas e estao inseridas em seu contexto; é possivel reparar diferenças óbvias nas duas fotografias em relação a vários aspectos,como tonalidade, talvez resultante da varição de cor do ambiente, e é também evidente a ausência de alguns dos personagens que compõem as fotografias e outros em posições diferentes. Com base nessas percepções acredito que o momento foi registrado mais de uma vez, ocorreu o processo de montagem e alteração com ajuste manual,provavelmente algum artista da época . Concordando com o que já foi citado por meus colegas, as imagens sofreram manipulações em razão de divergências políticas e ideólogicas afim de favorecer Stálin dentro do partido, consequentemente ele viu a necessidade de alterar alguns registros históricos da revolução,fazendo com que Trotsky não tivesse uma grande visibilidade no contexto da época e se perdesse na memória coletiva do país, e em contrapartida ele se tornaria peça chave.

    Denise Nascimento - 10/0027971

    ResponderExcluir
  22. Certamente as fotos possuem todo um contexto político importante para a história. As imagens não alteradas ainda possuem Leon Trótski e nas segundas imagens ele foi retirado, pois Stalin quando tomou o poder soviético ordenou que fossem apagados todos os registros fotográficos às figuras de seus adversários e inimigos políticos: dentre eles, as de Leon Trótski. Então não podemos negar a história por trás dessas imagens, mas como as outras duas fotografias foram alteradas não podem servir como prova porque elas não relatam realmente quem estava presente naquele momento, porque Trótski não estava lá, ou seja, a imagem serviu como um interesse político de Stalin, mas servir de prova real não. Em relação ao método utilizado para apagar alguns elementos da fotografia: estava levando para o lado do Blenner e do Fernando que comentaram que a iluminação e os ângulos são diferentes, então pensei que as imagens alteradas poderiam ser uma pintura da fotografia real, mas depois observei um fato que tinha passado despercebido antes, como por exemplo, que na imagem 2 existe uma "sombra" no lugar das pessoas que foram tiradas da foto original e com isso acho que realmente utilizou-se o método de esfumar para a modificação da foto. Já na imagem 1, creio que a discussão é outra, pois constatei vários elementos que me levaram a mudar o rumo do meu pensamento, como por exemplo: o palanque aumentou na largura e foi colocado uma pessoa ou criança deitada ao lado do palanque, uma fumaça acinzentada por trás do prédio e na imagem modificada essa fumaça saiu, outro ponto também foi o ângulo da foto que em uma corta o prédio e em outra não, as pessoas que estão diferentes, a quantidade de pessoas assistindo o discurso e até mesmo as árvores em frente ao prédio. Apesar das fotos serem muito parecidas, conclui que elas foram tiradas em momentos diferentes, sendo assim não foi utilizado nenhum método de modificação nas primeiras fotos por elas serem tiradas em datas diferentes.

    ResponderExcluir
  23. Mariana Nascimento12 de abr de 2012 22:38:00

    Em minha opinião todas as fotos apresentadas são autênticas. Se as fotos originais não tivessem sido apresentadas, eu acreditaria que as modificadas representaram mesmo um momento real da história. Isso depende não só do contexto, mas também de seu produtor. Aqueles que modificaram essas fotos queriam tornar os momentos verdadeiros, excluindo a presença de fatos e pessoas. Como o exercício nos força a criatividade, vou tentar sair da linha que os colegas seguiram. Vou supor então que essas fotos foram tiradas de pinturas feitas na época. As pinturas originais foram feitas realmente nos momentos dos fatos. E as modificadas foram reproduzidas (como cópias), alterando então a luz e as pessoas e acrescentando borrões e objetos.

    Mariana Nascimento de Medeiros - 10/0036147

    ResponderExcluir
  24. Flávio Costa Santiago12 de abr de 2012 22:48:00

    Analisando a 1ª imagem fico um pouco intrigado, porque existe diferenças nas fotos que vão além das pessoas que desapareceram, na minha opinião a foto é tirada em momentos distintos, no caso um modo de forjar o momento em uma espécie de cenário montado para modificar a foto na história, as fotos seriam ambas autênticas, no entanto a veracidade ficaria um pouco prejudicada uma vez que a foto seria uma incenação de um momento já ocorrido na história e uma falsificação da foto original. A imagem 2 segue a mesma ideia, o que me faz pensar nessa possibilidade de uma montagem de cenário para remontar uma outra foto é o fato de haver um espaço que deveria estar a cabeça de uma pessoa, mas está vazio e ao fundo ter a continuação da parede, por isso não há possibilidade de ter sido colocado um papel ali ou esfumaçar a imagem.

    Flávio Costa Santiago - 10/0029451

    ResponderExcluir
  25. Não tenho a menor idéia de como “essas alterações nas fotos foram feitas em meados da década de 20-30”. Por outro lado, tenho certeza que existem limites de interpretação da história por intermédio de fotografias. Nem mesmo o célebre ditado que diz que "uma imagem vale por mil palavras" é suficiente quando se tem a idéia de que, apesar da expressiva carga de informações que uma imagem pode trazer, a imagem registrada carrega somente informações visuais do recorte/momento selecionado, perfeitamente modificáveis por quem detiver algum tipo de interesse (comercial, político, militar, etc). É o que defende, por exemplo, Peter Burke na obra “Testemunha ocular”, EDUSC, 2004.

    Acredito que uma das propostas defendidas no texto “CONTEXTUALIZACIÓN ARCHIVÍSTICA DE DOCUMENTOS FOTOGRÁFICOS” tenha sido a de que se sejam criadas séries tipológicas próprias, associando o documento fotográfico (e suas diferentes funções) aos seus respectivos titulares, considerando o documento fotográfico como uma espécie documental própria.

    Wilton Borges de Sousa

    ResponderExcluir
  26. Felipe Júnio 09011299712 de abr de 2012 23:15:00

    Tomando como embasamento algumas da características das fotos, a fraude se deu muito provavelmente por alteração no negativo da foto, e posterior re-revelação, na segunda foto, por exemplo podemos perceber o desenho do braço do rapaz feito de forma pitoresca, e na primeira vemos apenas um desenho das estruturas dispostas atrás do palanque, palanque que após a modificação ficou assimétrico e com a tábua que Lenin coloca a mão pela metade. A causa da modificação das fotos pode ser entendida com o seguinte argumento do professor André sobre fotografias, que assim está "presentan una marcada propensión hacia la valorización de las posibilidades de uso de su información, relegando a segundo plano el contexto de producción". As possibilidades do uso das fotografias representam os anseios do governo de 'apagar' Trotsky.

    ResponderExcluir
  27. Renan Viana de Araujo12 de abr de 2012 23:16:00

    As imagens retradas acima fazem referência a uma epoca de extrema tensão política na união soviética no ano de 1924, quando Stalin assumiu o poder. Sabe-se que nessa epoca trotsky era um dos principais inimigos politicos de Stalin...Stalin mandou que fossem apagados todos os registros em que Trotski estivesse presente.Creio que as fotos onde Trotsky simplemente ´´desaparece´´ não podem ser consideradas autenticas pois são documentos forjados , apesar de retratarem um contexto historico que realmente ocorreu, as fotos foram modificadas e foi retirado das fotos um importante personagem político dessa epoca e portanto não retrada um fato real, e consequentemente as imagens alteradas não ter valor comprobatório.Mas ao mesmo tempo a foto que Stalin ordenou que se apagasse Trotsky dos registros a imagem alterada ilustrada no exercicio passou a ser a ser imagem tida como a verdadeira para a população que não conheceu Trotsky...ou seja, Stalin meio que mudou a historia criando um contexto em que Trotsky simplesmente não existia, colocando a historia ao seu favor. É uma discussão que parace simples, pois o que ocorreu é que apenas uma pessoa foi retirada da imagem, como se fosse passar desapercebido, pois existia grande aglomeração de pessoas em ambas as imagens, mas não se trata de uma pessoa qualquer e um contexto qualquer... O que faz com que seja uma imagem de extensa discussão e reflexão. Na minha opinião o metodo utilizado para apagar Trotsky da primeira imagem foi uma especie de montagem,onde foi colocado um recorte de papel ampliando o palanque do discurso em cima do local onde estava Trotsky, fazendo com que ele mistriosamente sumice...Já na segunda imagem há um jogo de sombras, algo parecido com fumaça, aparentemente feita a lápis para encobrir Trotsky.

    ResponderExcluir
  28. De acordo com o que a Serenna disse, as técnicas de alteração da fotografia são antigas, a diferença que temos para os dias atuais é que hoje este processo é mais viável e barato. Antigamente essa técnica era muito utilizada principalmente por políticos que buscava promover a sua imagem, retirando da foto algo que poderia proporcionar uma interpretação diferente do que ele deseja atingir ao divulgar a foto.
    Ao fazer a análise diplomática dessas fotografias é possível revelar os vínculos de proveniência dessas. Na análise tipológica que está vinculada ao contexto arquivístico, vai apresentar uma observação distinta quando verificada cada imagem individualmente e depois outra observação quando verificada junto com a sua respectiva alteração, nem sempre será possível identificar todos os pontos relativos às fotos. Independente da autenticidade discutida pelos colegas, esse duas imagens são documentos históricos, e a relação entre elas deverá ser analisada para embasar o motivo pelo qual as fotos foram modificadas.

    ResponderExcluir

clique para comentar