15 setembro 2017

Atividades para o dia 22/09

A próxima aula será destinada à preparação da avaliação, prevista para ocorrer no dia 29/09. É importante que todos tragam muitas dúvidas e questionamentos. A execução das atividades arroladas à continuação é etapa importante para a preparação.


Atividades individuais:

Compreender as principais diferenças práticas na aplicação dos seguintes modelos tipológicos
-tipologia mínima (Lopez)
-grupo de Archiveros de Madrid
-arquivos municipais espanhóis (texto de Mariano Ruipérez cap. 1.3)

Atividade 1: compreender tipologicamente o próprio fundo pessoal e escolher 3 séries documentais para analisar sob a ótica de 3 distintos modelos:
a)  Lopez
b) Madrid ou Conarq
c) Algum dos outros modelos arrolados por Ruipérez.
Tarefa: indicar nos comments aqui, sob o título de "tarefa individual 1" quais foram as principais modificações verificadas.

Atividade 2: com base no capítulo 5 de Luciana Duranti explicar:
a) as razões da existência de diferentes modelos;
b) a importância dessa diversidade;
c) as desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial.
Tarefa: nos comments aqui, sob o título de "tarefa individual 2" responder aos itens a, b e c.


Atividades em grupo:


Atividade 1: Trazer para discussão em aula um plano de classificação tipológico (com as respectivas análises das séries) dos documentos do grupo, pensado como um fundo. O Plano não poderá ter mais do que 3 páginas e deverá ser entregue em formato físico para os colegas e para o professor (7 cópias no total). Após a aula, o plano deverá ser reelaborado e postado nos próprios blogs. 
Tarefa: postar no blog do grupo, até o dia 28/09, o plano analisado em aula. Indicar nos comments aqui, sob o título "tarefa em grupo 1" a url do respectivo post.
EM TEMPO: agregar ao material a ser distribuido para a turma o exercício feito na última aula

Atividade 2: compreender tipologicamente documentos do foco do grupo e escolher 3 séries documentais para analisar sob a ótica de 3 distintos modelos:
a)  Lopez
b) Madrid ou Conarq
c) Algum dos outros modelos arrolados por Ruipérez.
Tarefa: postar as respectivas análises no blog do grupo, até o dia 22/09, 16hs, sob o título de "tarefa em grupo 2" e indicar aqui a respectiva url.

Atividade 3: compreender os diferentes conceitos imbricados na tipologia documental. definindo as diferenças entre:
a) espécie e tipo;
b) série e tipo;
c) arquivo e coleção;
d) classificação e plano de classificação;
e) autenticidade e veracidade
Tarefa: postar as respectivas comparações no blog do grupo, até o dia 22/09, 16hs, sob o título de "tarefa em grupo 3" e indicar aqui a respectiva url.

62 comentários:

  1. Tarefa Individual 1
    Nota-se de diferente nas (mais de) três possíveis análises tipológicas a diferença da quantidade de dados pedidos e necessários para fazê-la, visto que a do grupo dos archiveros de Madrid pode variar de mais completo até o segundo menos, dependendo de qual outro local da Espanha você quer compará-lo. O de Aragão (Aragon), por exemplo, é o segundo mais simples dos apresentados, perdendo apenas, obviamente, para a análise mínima (Lopez). Já a de Andaluzia nos pede mais detalhes que a de Madri.

    Tarefa Individual 2
    a)Diferentes modelos para se adaptarem às diferentes estruturas e necessidades arquivísticas de cada cidade, região, estado ou Estado.
    b)Evitar, ao máximo possível, falhas e permitir que os modelos se completem
    c)Pode ser um modelo extremamente falho e incompleto, além de não ser fácil de transformá-lo junto à sociedade e às suas necessidades

    ResponderExcluir
  2. Tarefa Individual I
    A)O objetivo de Lopez é demonstrar os pontos básicos de uma análise tipológica e diplomática mínima, para isso devem constar, na análise diplomática, o nome do documento, a forma, o formato e as dimensões, o suporte, o gênero e a validação; já na análise tipológica, devem estar presentes o fundo, a espécie, a função e, principalmente, o tipo arquivístico (espécie mais a função), ou seja, o porquê de o documento estar no arquivo.
    B)Os arquivistas de Madrid trazem um ponto importante para a análise diplomática e tipológica: demonstram o trâmite do documento de arquivo, ou seja, o caminho percorrido até o arquivo; a meu ver, essa é a principal diferença para a análise de Lopez.
    C)Ruipérez traz diversos modelos, sua principal contribuição (e diferença para os autores anteriores) é apontar que há uma diversidade de propostas, pois a finalidade de cada análise varia. Conforme o próprio autor comenta, nem sempre estão presentes as cinco funções principais (classificar, descrever, selecionar, acessar e difundir) e o mais importante: deve-se levar em conta a complexidade da estrutura administrativa do produtor, em outras palavras, o motivo de eu guardar determinado documento pode ser diferente para outra pessoa, pensando obviamente como um fundo pessoal.

    Tarefa Individual 2
    A)A diplomática, segundo a autora, "parte da forma do documento em direção à ação iniciada", dessa forma procura-se compreender as diferentes ações (contextos), surgindo, assim, os mais variados modelos.
    B)A diversidade é importante, porque, dessa forma, objetiva-se relacionar a realidade da instituição com a função do documento de arquivo para ela.
    C)As desvantagens são: não se respeita a realidade e a complexidade do produtor arquivístico, além de não se destacar a natureza do documento.

    ResponderExcluir
  3. Tarefa individual 1

    Ao analisar os textos (Lopez, Madri e Ruipiérez) e elaborar planos de classificação pessoal de acordo com as ideias propostas por cada um dos autores foi possível observar adaptações feitas de acordo com a necessidade e uso dos documentos.

    a) Lopez. Evidencia a série: deixa claro a função e a espécie. Quantifica os documentos da série. Define a ocorrência dos documentos da série.
    b) Madri.Esclarece e oferece o máximo de informação sobre a série. Há elementos que definem o documento e o código. Fornece a legislação que é usada para aquela série.
    c) Ruipérez: Ayuntamiento de Zaragova. Análise das características físicas dos documentos. Não faz menção quantitativa aos documentos pertencente a série. Utilização de código. Não faz menção a legislação.

    Tarefa individual 2

    a) Existem diferentes modelos porque existem diferentes situações, nações, pessoas e necessidades arquivísticas.
    b) Não existe um plano de classificação universal e que resolva todos os problemas documentais de todas as instituições. Sendo assim, a importância da diversidade de modelos está em encontrar o que mais seja adequado a realidade institucional.
    c) A desvantagem em um único modelo é a não resolução dos problemas arquivisticos pois não se está observando as peculiaridades do produtor.

    ResponderExcluir
  4. Atividade Individual 1

    a) Lopez: Seus estudos e seu metodo estão voltados às series documentais, consequentemente dando um foco nas funções e nas espécies. Em certo ponto determinou o formato dos documentos e posteriormente utiliza de um quantitativo dos mesmos. Define a função de cada documento e por qual motivo ele sera mantido no Arquivo.

    b) Archiveros de Madri: Seu ponto de partida é o tipo documental. Inserem um código específico e determinam diversos pontos de cunho administrativo, como setor que foi produzido, a quem esta sendo enviado o documento, legislação que o rege, enfim. Determinam o conteúdo, uma "temporalidade", um descarte e um nível de acesso aos documentos.

    c) Ruipérez: Faz uma referencia aos Archiveros de Madri e seus métodos de classificação. Insere uma análise "genealógica" do documento, como antecedentes e sucessores, a quais outros documentos esta relacionado e como são suas características físicas.

    Atividade Individual 2

    a) A existência de variados modelos se da devido a diversidade de pensamentos e teorias. São muitas formas de análise e interpretação, muitas formas de escrita e produção e muitas formas de acatar e gerir tudo isso.

    b) Porque apenas uma forma de interpretação e apenas um plano de classificação não atenderia a todos. É necessário adaptações para determinadas situações, ideias diferentes que compilem com o que é produzido e faça sentido para quem irá gerir esses documentos.

    c) O congelamento em um pensamento só, enquanto os produtores pensam de formas divergentes. A falta de interação com os produtores causaria certa discórdia. Por mais que seja padronizado o modo de produção documental, sempre há exceções, erros e diferenças sempre acontecerão.

    ResponderExcluir
  5. Atividade Individual 1:
    Ao analisar três séries documentais do meu fundo pessoal, de acordo com Lopez, Madrid e Ruiperéz, pude perceber algumas diferenças entre eles, no que se refere à aplicação dos modelos tipológicos.
    a)Para Lopez, a tipologia documental é definida através da junção entre espécie e função de uso para o titular do arquivo. Sendo assim, ele baseia-se em uma tipologia mínima que consiste em identificar as espécies, identificar as funções, sistematizar um esquema hierárquico que consolide as informações e registrar todos os passos do processo e as definições que foram sendo elaboradas.

    b)Para Madrid, o estudo da tipologia documental, se baseou na criação de um modelo de descrição de um tipo documental que se adaptasse com as necessidades dos arquivos, então, de forma mais abrangente o que se observa é o tipo documental, oficina produtora, destinatário, legislação, trâmite, documentos básicos, ordenação das séries, conteúdo, vigência administrativa, destinação dos documentos e acesso.

    c)Para Ruipérez, é abordado diversos modelos visando mostrar a diversidade de propostas. O que faz diferenciar uns modelos de outros, é dizer que nem sempre as cinco funções (classificar, descrever, selecionar, acessar e difundir) vão estar presentes na tipologia documental. De acordo com o modelo ayuntamiento de Zaragoza observa-se o organismo produtor, código, denominação do tipo, definições e características físicas que comparado com o modelo de Madrid, observa-se que a legislação não é um fator preponderante aqui.

    Atividade Individual 2:
    a)As razões da existência de diferentes modelos;
    De acordo com a autora, diplomatistas antigos estabeleceram uma metodologia para analisar formas documentais que permitiam a compreensão de ações administrativas e as funções que as geraram. Essa metodologia baseava-se no entendimento de que, apesar das diferenças quanto à origem, procedência ou data, todos os documentos apresentam formas bastante semelhante para possibilitar a concepção de uma forma documental típica, ideal, mais regular e completa, com o propósito de examinar todos os seus elementos. Por conta disso, a existência de diferentes modelos.

    b)A importância dessa diversidade;
    A diversidade de modelos permite verificar a função dos documentos através de suas formas, aprender sobre as funções na medida em que são realizados por cada produtor de documentos, e assim adquirir o conhecimento necessário para verificar a autenticidade dos documentos que parecem ter sido criados por uma determinada pessoa jurídica enquanto desempenhava uma função específica.
    c)As desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial.
    A adoção de um único modelo oficial não é vantajosa, pois não observar as peculiaridades do produtor significa não conseguir resolver os problemas arquivísticos.

    ResponderExcluir
  6. Tarefa Individual 1

    a) Lopez: Foca na tipologia mínima evidenciando a junção da função e espécie resultando em uma serie documental de um fundo arquivistico, indicando cada documento que compõe a serie.
    b) Archiveros de Madrid: Amplia mais as informações no que diz respeito à classe, suporte, formato e forma, cria um código, insere um destinatário, indica a legislação adequada e acompanha o trâmite, ou seja, é um processo mais complexo.
    c) Ruipérez: Indica modelo de diferentes arquivos, todos possuem contextos mais amplos, porem diferentes, um especifica sua definição, outros a organização que o produziu, também suas características internas e externas, algumas indicam legislação acesso e tramite e outras não.


    Tarefa Individual 2

    a) A existência de diferentes modelos ocorre de acordo com a autora devido aos documentos serem produzidos em tempos e jurisdição diferentes, assim existindo vários tipos de criadores de documentos para diversos fins.
    b) A diversidade é importante, pois não existe um plano de classificação que se encaixaria em todas as situações, por isso são adaptados modelos diferentes para criadores e fins diferentes.
    c) É desvantajoso, pois seria impossível enquadrar documentos diferentes em um só modelo que não atenderia a demanda de todos devido a particularidades de diferentes tipos documentais.

    ResponderExcluir
  7. TAREFA INDIVIDUAL 1

    Foram escolhidas as seguintes séries documentais: Carteira Nacional de Habilitação, Certificado de Conclusão do Ensino Médio e Certidão de Casamento.

    A) Foi possível observar que o modelo de Lopez é mais objetivo, pois analisa aspectos básicos do documento (denominação do documento, forma, formato e dimensões, suporte e gênero), isto é, análise diplomática. O modelo de Lopez é objetivo também em relação à análise tipológica, ou seja, ele é básico e nos faz pensar apenas na espécie do documento, bem como na sua função arquivística para o produtor, obtendo uma tipologia mínima.

    B) Já o modelo do Grupo de trabalho dos arquivistas municipais de Madrid possui uma abordagem mais ampla em seu modelo. Eles especificam não apenas a espécie e a função, mas faz pensar no que é de fato o documento (definição), como ele está posicionado na instituição (código de classificação) – o que no caso do meu fundo pessoal não se aplica, pois eu não possuo um código de classificação.
    O modelo de Madrid também faz a mesma análise diplomática de Lopez analisando os caracteres externos, mas vai muito além, pois nos faz pensar onde o documento se posiciona na legislação, bem como o seu trâmite e os documentos oriundos desse trâmite. Essa parte, a meu ver, foi a que eu pude observar as maiores diferenças, pois o trâmite em um fundo pessoal pode se diferenciar de outro fundo pessoal. Por exemplo, os trâmites para obtenção do certificado de conclusão do ensino médio para um aluno regular é diferente dos trâmites para obtenção do certificado de quem usou a nota do ENEM para obtê-lo ou de alguém que concluiu em menos tempo (EJA).
    Essa diferença nos trâmites também pôde ser observada na certidão de casamento, pois os trâmites de quem apenas se casa no civil se difere dos trâmites de quem se casa no civil e no religioso.
    Essa diferenciação no trâmite incide, consequentemente, na duração deste.
    Outro ponto interessante no modelo de Madrid é o conteúdo, pois é uma forma de colocar palavras-chaves para uma posterior recuperação do documento. Esse modelo também faz pensar na vigência administrativa do documento e sua destinação, ou seja, quanto tempo eu precisarei do documento antes de eliminá-lo ou se ele será de guarda permanente.

    C) Já os modelos abordados por Ruipérez possuem bastante especificidade. Foi possível aplicar um modelo mais simples que exige menos informações (ARAGON), como também foi possível aplicar um modelo mais complexo e profundo semelhante ao de Madrid (AYUNTAMIENTO DE BARCELONA).




    TAREFA INDIVIDUAL 2

    A) A existência de diferentes modelos de tipologia se dá com a existência de diferentes documentos, diferentes espécies, diferentes tipologias, diferentes formas de gestão em diferentes contextos organizacionais. Tudo isso reflete as diversas atividades da instituição e o quão específicas elas são o que faz os modelos tipológicos também serem específicos, por isso há a existência de diferentes modelos.

    B) A existência da diversidade de modelos de tipologia é importante, pois a instituição poderá escolher conforme seu contexto organizacional e seus objetivos institucionais. É interessante pensar que não há um modelo mais certo ou melhor que outro. A escolha do modelo irá depender do universo em que se encontra a instituição, é uma questão de adaptação e adequação à realidade da organização. A diversidade de modelos tipológicos existentes dá à instituição maiores opções de escolhas, escolhas essas que atendam as diferentes demandas organizacionais e arquivísticas.


    C) Adotar um único modelo significa ignorar as especificidades documentais e tipológicas dentro da instituição, o que dificulta o atendimento às diferentes demandas organizacionais.



    ResponderExcluir
  8. Atividade Individual 1

    A análise de 3 documentos de meu fundo pessoal (Certificado de Conclusão do Ensino Médio; Carteira Nacional de Habilitação e Carteira de Trabalho e Previdência Social), tendo como perspectiva as abordagens de Lopez, Archiveros de Madrid e Ruipérez, levou as seguintes conclusões:

    a) Lopez traz o enfoque para a função arquivística do documento, elencando suas atribuições físicas e intrínsecas, como tipo, forma, gênero, suporte, série, dentre outros campos a serem abordados. Com estas informações é possível destacar elementos-chave para mais fácil recuperação da informação presente no documento em estudo.

    b) O Grupo de Archiveros de Madrid aborda o uso de um modelo de descrição de um tipo documental que se adeque às necessidades dos arquivos. De forma mais abrangente , observa-se além do tipo documental, todo o trâmite e procedimentos incluídos na vida útil do documento.

    c) Ruipèrez indica vários modelos diversos, mostrando a possibilidade de diferentes abordagens, tal como o fato de que nem sempre todas as atividades arquivísticas estarão sendo evidenciadas em um plano de classificação.

    Atividade Individual 2

    a) As razões da existência de diferentes modelos;
    A existência de diversos modelos se dá em virtude dos diferentes tipos de documentos encontrados nas mais diferentes instituições, fazendo com que seja possível avaliar o modelo mais apropriado para o caso de cada instituição específica, e a partir disso moldar o seu próprio modelo.

    b) A importância dessa diversidade;
    A diversidade de modelos permite avaliar diplomática e tipologicamente os documentos de diferentes formas, possibilitando que ajam abordagens baseadas em pontos de vista que dificilmente seriam alcançados utilizando apenas um modelo de análise.
    c) As desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial.
    Em geral, a adoção de um único modelo generaliza as tipologias documentais, causando perda eminente de informações peculiares de tipologias documentais mais específicas.

    ResponderExcluir
  9. Atividade 3 em grupo - http://cacharqdiplomatica.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-gupo-3.html

    ResponderExcluir
  10. Tarefa em grupo 3: https://sosdiplomatica.blogspot.com.br/2017/09/diferenciando-conceitos.html

    ResponderExcluir
  11. Tarefa individual 1
    a) LOPEZ mostra o que deve ser levado em consideração uma análise tipológica que deve conter o nome do documento, a forma (original, cópia), o suporte (papel, digital) e o formato e através dessa análise podemos saber que tipo de informação tem e o porquê deve ser mantido no arquivo.

    b) Para o grupo de archiveros de Madrid tem alguns pontos relevantes a destacar e ao realizar uma análise tipológica são considerados alguns tipos específicos (desde a produção, por onde passa, o trâmite e qual a legislação pertence o documento).

    c) Mariano Ruipérez mostra vários modelos e os diversos tipos de propostas e que nem sempre aparecem as funções básicas na tipologia documental. Os documentos devem seguir uma “vigência cronológica de la serie” o que destaca os diversos modelos e determina sua estrutura cronológica.



    Atividade 2
    a) Existem diferentes modelos porque há diversos tipos de documentos nas instituições.

    b) Essa diversidade se torna relevante pelo fato da instituição poder aderir qual o modelo mais adequado para ela.


    c) Adotar um único modelo tem diversas desvantagens na instituição como, por exemplo, pode não suprir todas as suas necessidades, ocasionando em perdas informacionais.

    ResponderExcluir
  12. Atividade individual 1

    Ao compreender as principais diferenças dos modelos tipológicos e entendê-los no meu próprio fundo, cheguei a essas diferenças:
    a) Na tipologia mínima de Lopez para ele é uma atividade fundamental saber identificar corretamente o que cada documento é. Por isso em sua tipologia mínima o principal é identificar no mínimo: a denominação das espécies; as características internas essenciais; as características externas como: forma, formato, dimensões, suporte, gênero, sinais de validação, entre outros; o trâmite, como e quais documentos produzidos até chegar ao documento em questão. Com isso, pode-se dizer que o modelo de Lopez é mais objetivo e foca na junção de função (atividade) mais espécie originando as séries como uma forma de utilizar para os fins dos arquivos pessoais e públicos.
    b) A principal diferença entre os outros modelos em relação ao de Madrid é que ele enfatiza nos documentos administrativos para uma gestão voltada para os arquivos municipais de Madrid. Então no seu modelo o foco é criar um código com base nas análises documentais, nessa análise eles focaram em: tipo documental, escritório (setor, gabinete, etc.) produtor, destinatário, legislação, trâmite, documentos básicos que compõem o registro, ordenação da série, conteúdo, vigência administrativa, destinação e acesso do documento. Sendo assim, um pouco mais complicado que os outros.
    c)No modelo de Ruipérez o seu diferencial é que ele apresenta diversos modelos para analisar as tipologias documentais e cada modelo tem seu diferencial uns sendo mais complexos e outros menos, alguns usando todas as cinco funções (classificar, descrever, selecionar, acessar e difundir) outros não. O que Ruipérez propõe é que seja usado o modelo mais adequado para o “seu” arquivo.

    Atividade individual 2

    a) A existência de diferentes modelos, segundo Duranti, ocorre, pois com a identificação feita pelos diplomatistas através do exame de um grande número de documentos produzidos em tempos e jurisdições diferentes, por criadores diferentes para vários fins gera diferentes modelos.

    b) Essa diversidade é importante, pois existem vários arquivos diferentes, com funções diferentes, com atividades diferentes, com documentos diferentes e assim com a existência de vários modelos é possível achar um que seja adequado para cada situação existente nos diferentes arquivos.
    c) As desvantagens da adoção de um único modelo oficial é que esse modelo pode não ser o mais adequado para resolver os problemas dos documentos e arquivos e por não atender as demandas particulares de cada tipo documental, das atividades ou das funções existentes naquele arquivo. Assim a utilização de vários modelos para melhor adequar a realidade da instituição seria o melhor a se fazer.

    ResponderExcluir
  13. Tarefa Individual 1

    Analisando o meu fundo pessoal, escolhi 3 documentos: Carteira de Habilitação, Carteira de Identidade e Certificado de Conclusão do Ensino médio.

    a) De acordo com Lopez, o autor analisa alguns aspectos tais como: o nome do documento, a forma, o formato e as dimensões, o suporte e o gênero, para o caso da análise diplomática de um documento; Já no caso da análise tipológica, devem estar presentes o fundo, a espécie, a função e, principalmente, o tipo arquivístico (espécie mais a função), ou seja, o porquê de o documento estar no arquivo.

    b) Já de acordo com o Grupo de Archiveros de Madrid, eles fazem uma análise com mais aspectos do documento, não só os aspectos como gênero e espécie documental, como foi exemplificado por Lopez, mas também um outro que é o seu trâmite dentro da organização. Também analisam a questão de uma classificação para os documentos dentro das organizações.

    c) No texto de Ruipérez, o autor destaca alguns tipos de modelos de análise diplomática e tipológica. De acordo com o autor, essa abordagem depende da forma em que o documento será analisado e de acordo também como ele se encontra na organização ou no fundo em que está presente.

    Tarefa Individual 2

    a) As razões da existência de diferentes modelos: A resposta para esse ponto é explicada pela autora sob a afirmação de que existem diferentes documentos e diferentes aspectos existentes nos mesmos. Assim como também existem diversas organizações. Dessa forma, é possível analisar um documento sob diferentes formas. Sendo assim, existem diferentes modelos para diferentes formas de se analisar um documento, onde quer que ele esteja.

    b) A importância dessa diversidade: Ainda segundo a autora, essa diversidade de modelos é importante, pois permite às organizações terem a liberdade de escolherem o modelo que seja de acordo com o contexto dessas organizações. Dessa forma, pode-se dizer que não existe um modelo que seja correto para todos os contextos.

    c) As desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial: No caso das desvantagens de se adotar um único modelo oficial podemos destacar o fato de que não atenderá de forma satisfatórias as demandas pelo documento, assim como também haverá um engessamento da forma de localizar e/ou identificar o documentos requerido.

    ResponderExcluir
  14. Atividade Individual 1 (Principais modificações verificadas)

    O autor observa pontos básicos da análise diplomática e tipológica mínima, que fica claro a quantidade de documentos de séries, e informações. O principal estudo de Lopez, são métodos voltados às series documentais. Madri nos mostra as informações sobre documentos e séries, deixa claro como executar os tramites daquele documento de arquivo, passo a passo. Ruipérez comenta que atividades como, selecionar, descrever, classificar, nem sempre estarão presentes nas funções principais, ele mostra que a própria legislação não é um fator de grande importância. Ruipérez nos mostra vários modelos de arquivos e vários desses arquivos possuem contextos mais extenso, mais numerosos.

    Atividade Individual 2

    Segunda a autora, precisamos compreender diferentes ações e modelos, pois existem diferente Instituições, pessoas, situações e diversas necessidades arquivisticas.

    A importância da diversidade, é encontrar essas diferenças com análises de modelos, formas documentais, e se adaptar à realidade institucional de acordo com as funções documentais, evitando possíveis falhas.

    Várias pessoas pensam de forma diferente, pois poderia ocorrer a falta de interação com pessoas, e os erros sempre acontecerão. É importante também termos mais de um modelo oficial, ter só um modelo não será fecundo.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Atividade Individual 1:
    A) Lopez, através de seu texto, demostra os pontos básicos para que uma análise tipológica e diplomática seja executada. Para o autor o nome do documento, a forma a qual ele se encontra, o formato do mesmo, a validação e o gênero têm de ser levados em conta. O caráter existencial do documento no seu arquivo pessoal também deve ser analisado, sendo que, dessa forma, podemos averiguar o tipo documental. Um método bastante objetivo.
    B) Os arquivistas de Madrid, diferentemente de Lopez, que possui uma forma mais coesa, são bastante amplos em sua abordagem. Além do tipo documental, é analisado todo o trâmite do documento de arquivo, sendo que o enfoque nos procedimentos também é bastante perceptível.
    C) Para Ruipérez os documentos de arquivo são bastante diferentes entre si. Seguir um único modelo acabaria por ignorar as especificidades documentais. Diferente do modelo de Madrid, a legislação não se torna um fator preponderante na análise do mesmo.

    Atividade Individual 2:
    A) Para a autora, existem diversos modelos pois há diferentes situações, pessoas, estados nacionais e, com isso, diferentes necessidades arquivísticas.
    B) O mais importante na diversidade tipológica apresentada acima é que, de acordo com a necessidade/realidade é que se molda os objetivos institucionais da organização. A escolha do modelo dependerá desses fatores.
    C) Adotar um único modelo tira a especificidade documental, portanto não é vantajoso para a instituição que isso ocorra.

    ResponderExcluir
  17. Atividade 1
    Ao realizar a leitura dos textos indicados, compreendi que:
    A) O objetivo de Lopez é demonstrar as principais características dentro da tipologia mínima, onde este trabalha bastante com as definições de fundo e espécie. Logo, o foco principal do texto é a série documental e suas subdivisões.
    B) Nesse texto, o Grupo de Archiveros abordam de forma mais completa do que no do Lopez,a análise do documento, onde há uma ênfase no tramite, em cada uma de suas fases.
    C) Para Ruipérez, a abordagem difere de documento para documento, diferenciando na análise de cada documento, como também na função desempenhada pelo mesmo dentro da instituição. O texto também trás vários modelos, que se adaptarão as tipologias documentais.
    Atividade 2
    A) A razão da existência de diferentes modelos é devido à existência de várias linhas de raciocínio, como também devido à adaptação para o contexto em que a documentação esta inserida.
    B) A diversidade é de suma importância, para que cada modelo se adéqua a realidade do documento, o contexto e tipo de instituição.
    C) A desvantagem é que vários documentos não iram se enquadrar na realidade do modelo oficial, fazendo com que sejam colocados de forma inadequada ou iram ficar fora do modelo oficial.

    ResponderExcluir
  18. Atividade individual 1
    Ao analisar três documentos (nota fiscal, certificado de conclusão do ensino médio e habilitação), tendo como base os textos de Lopez, Archiveros de Madrid e Ruipérez, pode-se concluir que:
    a) Lopez possui um modelo mais objetivo, fazendo a analise da particularidade da informação básica( forma, formato e dimensões, suporte, gênero e a denominação do documento). Tendo também sua analise tipológica visando a função arquivistica de um documento.

    b) Archiveros de Madrid: o grupo de madrid faz uso de um sistema baseado em descrição do tipo documental das necessidades do arquivo assim abrangendo também o tipo documental, os procedimentos e o tramite de um documento.

    c) Ruipèrez: traz diferentes modelos mostrando vários ponto de vista a analise documental.

    Atividade individual 2
    a) As razões para da existência de diferentes modelos;
    De acordo com a autora, há uma metodologia para analisar formas documentais que permitiam a compreensão das acoes administrativas e suas funções que as geram. Esse método de estudo basear-se na diferença de sua origem ou data, todos os documentos se assemelham de forma regular.
    b) A importância dessa diversidade:
    Segunda a autora , essa diversidade é muito importante, pois proporciona que a organização tenha a liberdade de escolher o modelo para melhor atender suas necessidades. Desta forma pode-se dizer que não existe um modelo ideal para todos pois há contextos bem diferentes.

    c) As desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial:
    Destaca-se um problema de que não haverá o atendimento correto para cada documento, desta maneira também pode haver o ingresso da forma de localização/identificação do documento solicitado.

    ResponderExcluir
  19. Tarefa Individual 1
    a) LOPEZ foca nos estudos das séries documentais. O autor afirma que "A tipologia documental é responsável por permitir a compreensão do documento identificado pela Diplomática (espécie) dentro da organicidade do arquivo."
    b) Madrid correlaciona diversos modelos. Foca no tipo documental. Traz diversos conceitos e os contextualiza.
    c) Ruipérez compara e relaciona os modelos existentes. Traz conceitos novos e demonstra um modelo mais complexo.


    Tarefa Individual 2
    a) As razões da existência de diferentes modelos auxiliam na elaboração de instrumentos arquivísticos, propiciando às Instituições a oportunidade de optar sobre qual modelo será utilizado. A razão dessa quantidade de modelos distintos ocorre devido ao maior engajamento de estudiosos nesta determinada área.
    b) A importância dessa diversidade de modelos é oferecer às Instituições o poder da escolha de qual modelo será adotado. A diversidade gera aprofundamento no conhecimento de cada tipo de modelo.
    c) As desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial é a restrição a um determinado tipo de modelo. Não é possível fazer uso de outros modelos.

    ResponderExcluir
  20. Tarefa Individual 1
    A)O objetivo de Lopez é demonstrar os pontos básicos de uma análise tipológica e diplomática mínima, para isso devem constar, na análise diplomática, o nome do documento, a forma, o formato e as dimensões, o suporte, o gênero e a validação; já na análise tipológica, devem estar presentes o fundo, a espécie, a função e, principalmente, o tipo arquivístico (espécie mais a função), ou seja, o porquê de o documento estar no arquivo.
    B)Os arquivistas de Madrid trazem um ponto importante para a análise diplomática e tipológica: demonstram o trâmite do documento de arquivo, ou seja, o caminho percorrido até o arquivo; a meu ver, essa é a principal diferença para a análise de Lopez.
    C)Ruipérez traz diversos modelos, sua principal contribuição (e diferença para os autores anteriores) é apontar que há uma diversidade de propostas, pois a finalidade de cada análise varia. Conforme o próprio autor comenta, nem sempre estão presentes as cinco funções principais (classificar, descrever, selecionar, acessar e difundir) e o mais importante: deve-se levar em conta a complexidade da estrutura administrativa do produtor, em outras palavras, o motivo de eu guardar determinado documento pode ser diferente para outra pessoa, pensando obviamente como um fundo pessoal.

    Tarefa Individual 2
    A)A diplomática, segundo a autora, "parte da forma do documento em direção à ação iniciada", dessa forma procura-se compreender as diferentes ações (contextos), surgindo, assim, os mais variados modelos.
    B)A diversidade é importante, visto que não existe um plano de classificação universal e porque, assim o objetivo de relacionar a realidade da instituição com a função do documento do arquivo para a mesma.
    C)As desvantagens são: não é respeitada a realidade, peculiaridade e a complexidade do produtor arquivístico, além de não se destacar a natureza do documento.

    ResponderExcluir
  21. Atividade 1
    a) Lopez: Foca nas funções que determinam as atividades e relaciona cada um as suas espécies documentais.
    b) Arquivistas de Madrid: Apresentam um modelo que mostra o caminho que o documento fez dentro da instituição, ou seja, o seu trâmite.
    c) Ruipérez: Apresenta vários modelos, mostrando que a cada instituição pode criar ou adaptar um modelo existente que melhor se encaixa na sua realidade.

    Atividade 2
    a) A existência de diferentes modelos tipológicos se dá pela diferença nos documentos produzidos ao longo de vários anos, diferença das instituições e nas análises dos elementos internos e externos feitas por diferentes arquivistas.
    b) As diferenças encontradas nos modelos são extremamente importantes para que cada instituição e profissional encontre a que melhor se acomoda com as suas necessidades, para que a análise seja feita da melhor forma.
    c) Cada produtor arquivístico tem suas peculiaridades, que não iriam ser atendidas se fosse adotado de um único modelo tipológico, restringindo a análise tipológica.

    ResponderExcluir
  22. Atividade Individual 1

    A) A intenção de Lopez é apresentar elementos básicos do documento em uma análise diplomática que são o tipo, forma, formato, suporte e gênero. Já na tipologia documental a função do documento para o produtor e a espécie do documento precisam estar presentes (Função + espécie).

    B). Na abordagem de Madrid observa-se que o trâmite do documento até o arquivo é acompanhado, apresentam uma legislação, a existência de um código essencial.

    C) Ruipérez expõe vários modelos para analisar tipologias documentais, ele enfatiza que cada arquivo tem suas próprias particularidades e pode-se deduzir que o modelo a ser usado é o qual mais se assemelha ao arquivo analisado. Além disso, dentre os modelos apresentados uns usam mais funções e outras menos.

    Atividade Individual 2

    A) A diversidade de modelos apresentados, por Duranti, é resultado de que as organizações possuírem sua própria particularidade, onde possuem uma variedade de documentos, tipologias e espécies geradas por suas múltiplas atividades. Além disso, cada organização é singular na sua estrutura de atuação e pessoal, por isso é necessário a existência de vários modelos.

    B)A existência de vários modelos é importante no sentido de que cada instituição possa escolher aquele que se adeque a sua realidade, ademais, a instituição não fica engessada a um único tipo de modelo tendo que se moldar para encaixar, com isso, possui uma maior autonomia de escolher.

    C)Dentre as desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial, pode-se obter dificuldade de atendimento nas diferentes demandas do documento, tirando a especificidade do mesmo. Além disso, um único modelo pode não solucionar complicações existentes na instituição.

    ResponderExcluir
  23. Atividade individual 1
    a) LOPEZ, o modelo utilizado por lopez é prático direto, desta forma ele evidencia o contexto. Estando presentes na análise tipológica,o fundo, a espécie e a função e sobretudo, o tipo espécie+ função.
    b) Madrid, tem resoluções melhor quanto ao trâmite, além de obedecer formalmente aos documentos oficiais, o que se observa de forma abragente é o tipo documental.
    c) Ruipérez, relata que as cinco funções principais classificar, descrever ,selecionar, acessar e difundir nem sempre estão presentes na tipologia documental. Possui uma variedades de modelos.
    Atividade individual 2
    a) A necessidade de compreeder várias demandas arquivisticas,quanto aos contextos diversos, tipos de criação com variedades de propósitos.
    b) A diversidade dos modelos de tipologias documentais é excelente pois eles irão atender especificidades diferentes em função da natureza dos arquivos além de atender interesses diversos na elaboração das tipologias.
    c) O documento de arquivo é ligado pela necessidade do produtor arquivístico é existindo só um único modelo oficial não conseguiria atender a realidade do produtor e suas peculiaridades.

    ResponderExcluir
  24. Atividade individual 1


    A) Lopez. Tem como objetivo realizar a análise tipológica e diplomática com a menor quantidade de dados/informações possíveis evidenciando as séries documental e definindo a tipologia documental com base na função e na espécie documental.

    B) Madrid. O modelo utilizado pelo Grupo de Archiveros de Madrid é bem mais abrangente que o de Lopez, utilizando informações como tramite, produtor, legislação relacionada, conteúdo, destinatário, suporte, forma e vários outros dados para conduzir a análise tipológica e diplomática.

    C) Ruipérez. Usa vários modelos para atender diferentes necessidades, dentro dessa variedade, alguns modelos não usam critérios quantitativos, outros focam nas características físicas e nem sempre todas as cinco atividades arquivísticas deveram ser usadas para análise. De modo geral a intenção é que cada arquivo posso escolher um modelo mais adequado para sua realidade.


    Atividade individual 2


    A) A existência de vários tipos de arquivos, documentos, pensamentos, formas de gestão, situações, estruturas e pessoas exige a existência de diferentes modelos de análise, para atender as necessidades das diferentes realidades encontradas.

    B) A cada instituição tem suas próprias especifidades, ter uma diversidade de modelos é importante para que cada instituição possa escolher qual modelo se adapta melhor em sua realidade arquivística.

    C) Um só modelo dificilmente poderá se adaptara corretamente a diferentes realidades que são enfrentadas em diferentes locais.

    ResponderExcluir
  25. Atividade Individual 1

    Para realizar a análise de acordo com o ponto de vista dos autores eu escolhi os seguintes documentos: CNH, certidão de nascimento e diploma do ensino médio.
    A. No texto de Lopez o que fica evidenciado são as séries documentais, focando nas suas funções e espécies, obtendo uma tipologia mínima.
    B. No texto grupo de Archiveros de Madrid foca mais na tipologia documental, baseando-se em um modelo de descrição de um tipo documental específico que vai se adequando as necessidades do arquivo. Ele também acompanha todo o trâmite do documento e indica uma legislação adequada para tais documentos.
    C. No texto de Ripérez ele já aborda vários modelos para análise da tipologia do documento, sendo que esses modelos são diferentes uns dos outros, uns podem ser mais complexos que outros. Ou seja, ele diz que para cada arquivo é necessário usar um modelo de análise adequado.

    Atividade Individual 2

    A. A existência de diferentes modelos se explica pelo fato de existirem diferentes tipos documentais, ou seja, documentos que foram produzidos em tempos diferente, que tem criadores diferentes, feitos para diversos fins, mostrando que cada produtor possui atividades específicas.
    B. A diversidade de modelos é importante para que se possa escolher qual modelo mais adequado para atender suas necessidades, pois cada instituição tem um contexto próprio, uma realidade específica.
    C. A desvantagem de se utilizar um único modelo oficial é que cada instituição possui suas peculiaridades e utilizando esse modelo pode ser que se tenham documentos que não se enquadrem nesse modelo, assim restringindo a análise tipológica dos documentos.

    ResponderExcluir
  26. Atividade individual 1

    a) Lopez baseia-se em uma identificação básica das características do documento, como forma, formato, suporte, gênero para estabelecer uma análise diplomática e uma identificação tipológica mínima que analisa o fundo, a espécie e a função do documento a fim de compreender sua série documental.
    b) O grupo Archiveros de Madrid observa, além das características diplomáticas e tipológicas documentais, a função destes documentos no âmbito administrativo, analisando a trajetória dos documentos dentro das instituições e definindo aspectos como legislação, vigência, produtor, destinatário, trâmite, além de criar um código de classificação para os documentos.
    c) Ruipérez propõe a análise de vários modelos, pois, para o autor, cada arquivo se difere dos outros conforme suas necessidades e nem sempre as principais funções arquivísticas estarão presentes.

    Atividade individual 2

    a) Cada modelo existe e se difere dos outros porque cada instituição e seus arquivos possuem realidades e necessidades diferentes e não há um único modelo que possa comtemplar todas estas situações.
    b) Esta diversidade é importante exatamente para que as instituições possam escolher dentre opções diversas aquela que se adeque melhor à sua necessidade.
    c) A adoção de um único modelo oficial ignoraria as diferentes realidades das organizações e seria um modelo que não conseguiria suprir as necessidades de todas, dificultando a análise de vários documentos que provavelmente não se encaixariam naquele modelo único.

    ResponderExcluir
  27. Tarefa em grupo 3: https://arquimigrantes.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-grupo-3.html

    ResponderExcluir
  28. Tendo escolhido 3 séries documentais para fazer uma análise sob a ótica de 3 distintos modelos, foi possível compreender tipologicamente o fundo pessoal, bem como levantar algumas observações acerca desta temática:



    Atividade Individual 1



    a) Lopez: suas análises tipológicas são dotadas de objetividade, tendo em vista que um de seus cernes diz respeito às séries documentais. Também delineia a função dos documentos arquivísticos.

    b) Arquivistas de Madrid: Não obstante, compreendendo tipologicamente seus posicionamentos, o foco é justamente o tipo documental. Ademais, em certo ponto do texto, houve um enfoque sobre a tramitação da documentação e sua importância.

    c) Ruipérez: Após apresentar alguns modelos, apresentando as diferenciações deles, como também suas especificidades, ele dá a vista das funções. Desta forma, eu pude escolher, frente ao meu arquivo pessoal, um dos modelos apresentados que melhor se adequaria.




    Atividade 2:
    a) Com base nas observações de Duranti e tendo em vista que há diversas metodologias na área arquivística, bem como variados parâmetros conceituais, dá-se a existência de vários modelos.

    b) A importância dessa diversidade refletirá no campo profissional do Arquivista, pois ele será mais capacitado para análise e síntese, tendo referenciais para suas práticas profissionais, propondo desta forma um tratamento técnico adequado.


    c) Caso fosse adotado um único modelo oficial, as demandas da avaliação documental não seriam atendidas de forma profícua. Haveria prejuízo também em relação ao debate teórico sobre a produção de documentos e contextualização.





    ResponderExcluir
  29. Atividade 1:
    a)Lopez: Se baseia em uma tipologia mínima, tendo a espécie do documento e sua função arquivística.
    b)Madrid: Se utiliza do tipo documental que possa oferecer informações melhor sobre seu tramite tendo assim, setor, destinatário, legislação, criando um código de classificação e mostrando uma abrangente análise tipológica.
    c) Ruipérez: Mostra diversas propostas onde cada instituição pode ter seu próprio modelo. Podendo nem sempre as cinco funções (classificar, selecionar, acessar, descrever, difundir) estarem em seu tipo documental, tendo cada produtor uma estrutura organizada.

    Atividade 2:
    a)As razões da existência de vários modelos está relacionada aos diferentes pensamentos e estudos relacionados a eles. Onde também se encontra produções de variados anos, assim como instituições que possuem seus próprios modelos e criadores de documentos para fins diversos.
    b)É importante para que a instituição possa escolher o modelo que melhor se adaptar a ela, tendo melhor diversidade que se encaixa em suas necessidades.
    c)Adotar um único modelo não permitiria analisar o documento de acordo com as particularidades.

    ResponderExcluir
  30. Atividade individual 1:
    Na análise do fundo documental pessoal e na escolha de 3 séries documentais, foi possível analisar na ótica dos 3 distintos modelos sugeridos, que:
    a) Lopez apresenta um modelo mais objetivo, voltado na tipologia mínima, onde consta o nome do documento, o formato, o suporte, o gênero, especificando a função e espécie da série documental.

    b) Os arquivistas de Madri são extremamente detalhistas, abrangendo todas as etapas que compõem a vida de cada documento, baseado na cronologia.

    c) Ruiperéz traz vários modelos, uns mais complexos outros mais simples. A diferença segundo o autor é na última finalidade, onde nem sempre estarão presentes em todos os modelos as funções: Classificar, descrever, selecionar, acessar e difundir.

    Atividade individual 2:
    a) As razões para a existência de vários modelos se dá pelo fato de existirem uma imensa diversidade documental.
    b) A diversidade dos modelos é importante porque toda instituição tem formas diferentes de trabalhar, como por exemplo, uma instituição pública e privada. Existem formas de tratamento documental diferente para ambas, e com a existência de modelos diversos, a instituição utiliza a que mais de adeque as suas funções.
    c) As desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial se dá pelo fato de que um único modelo não é capaz de executar as funções de vários documentos diferentes. Com isso, o tratamento documental fica à mercê de não ser tratado da maneira correta, podendo acarretar em perda futura das informações.

    ResponderExcluir
  31. Atividade Individual 1
    a) Lopez: Concentra-se na tipologia mínima, onde ele identifica o fundo, a função e a espécie para compreender a série documental. Para a análise diplomática ele identifica também apenas as características básicas do documento;
    b) Madrid: O modelo envolve foco no acompanhamento do trâmite do documento;
    c) Ruipérez: Diferentes modelos para diferentes realidades, ou seja, adaptar para a situação do arquivo em questão.
    Atividade Individual 2
    a) Cada arquivo tem uma realidade diferente, portanto, existem diferentes modelos para aplicar nesses arquivos. Um só modelo não pode servir para todos.
    b) A diversidade é importante justamente para o arquivo poder escolher o modelo que melhor se adapte à sua realidade, tornando a gestão documental mais eficiente.
    c) Adotar um só modelo não permitiria uma análise de contexto particular ou de situação, prejudicando o tratamento documental.

    ResponderExcluir
  32. Atividade em Grupo 2: http://cacharqdiplomatica.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-grupo-atividade-2.html

    ResponderExcluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. Tarefa em grupo 2: https://habeasdataunb.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-2-em-grupo.html

    Tarefa em grupo 3: https://habeasdataunb.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-3-em-grupo-conceitos-ligados.html

    ResponderExcluir
  35. Atividade 2 em Grupo: https://sosdiplomatica.blogspot.com.br/2017/09/compreendendo-os-documentos-do-grupo.html

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. ATIVIDADE INDIVIDUAL 1

    Após compreender as principais diferenças na aplicação dos modelos tipológicos de Lopez, do Grupo de Archiveros de Madrid e dos arquivos municipais trazidos no texto de Ruipérez, cap 1.3, busquei compreender o meu fundo pessoal percebendo o contexto – organicidade do processo de acumulação - de minhas atividades e então definindo funções e séries, ou seja, determinando apenas dois níveis para meu plano de classificação. E assim procedi, em virtude de a natureza de minas atividades serem de baia complexidade. A partir de então, escolhi três séries documentais e as analisei sob a ótica de três distintos modelos, mas não de forma extremamente rígida, uma vez que cada modelo foi elaborado com base em determinado contexto, diferente do contexto do meu fundo pessoal. Seguem as análises, que evidenciam as modificações entre os modelos: siga o link para visualizar as imagens

    https://cacharqdiplomatica.blogspot.com.br/2017/09/atividade-individual-1-cristiane-mary.html

    ATIVIDADE INDIVIDUAL 2

    a) As razões da existência de diferentes modelos estão diretamente ligadas ao fato de que cada organismo produtor possuir peculiaridades próprias inerentes ao contexto em que os documentos foram produzidos e recebidos e nele estão presentes, além de outros, a missão, as funções, as atividades, a forma como é organizado cada organismo, o momento histórico.

    b) A diversidade de modelos é importante, pois contribui como elemento exemplificador, norteador para a confecção do plano de cada organismo em sua própria realidade

    c) As desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial é que esse modelo não será capaz de abranger toda a realidade de produção documental de todos os organismos, devido justamente às suas diversas peculiaridades.

    ResponderExcluir
  38. Atividade 1:
    Documentos fundo pessoal: CNH, Certificado de conclusão do EM, Certidão de Nascimento

    a) Lopez: Foco na tipologia mínima. O fundo a função e a espécie são identificados a fim de compreender a série documental.Na análise diplomática ele identifica apenas as características básicas do documento.
    b) Madrid: O modelo envolve foco no acompanhamento do trâmite do documento. Procura ser um modelo de descrição de um tipo documental que se adeque às necessidades dos arquivos, de forma mais abrangente e consequentemente mais complexa. A abordagem é bem mais ampla, pois especificam não só a espécie e função, mas traz informações de trâmite, código de classificação, legislação, dentre outros
    c) Ruipérez: Diferentes modelos para diferentes realidades, ou seja, adaptar para a situação do arquivo em questão.
    Chega-se a conclusão de que a análise diplomática dos documentos pessoais torna-se mais complexa usando o modelo de Madrid, devido a sua amplitude de detalhes e informações que não podem ser encontradas, como por exemplo o plano de classificação, que como pessoa física, não possuo.



    Atividade 2:
    a) A existência de vários modelos está relacionada aos diferentes pensamentos e estudos relacionados a eles. Onde também se encontra produções de variados anos, assim como instituições que possuem seus próprios modelos e criadores de documentos para fins diversos.
    b)É importante para que a instituição possa escolher o modelo que melhor se adaptar a ela, tendo melhor diversidade que se encaixa em suas necessidades.
    c)Adotar um único modelo não permitiria analisar o documento de acordo com as particularidades.

    ResponderExcluir
  39. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  40. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  41. Tarefa 1:
    Nos documentos que escolhi para fazer a diferenciação dos modelos, cheguei a essas conclusões:

    a) Lopez relaciona a tipologia mínima. O seu principal foco está nas análises diplomáticas e tipológicas com uma atenção maior nas funções e espécies documentais que geram as séries. Sendo essas uma forma melhor de recuperar informação e organizar os arquivos.
    b) No modelo de Madrid, o principal é criar uma gestão de documentos que se ajuste a realidade dos arquivos municipais de Madrid. Com isso, o foco é no estudo da tipologia documental trazendo em seu modelo uma análise dos tipos documentais sendo eles: tipo documental, escritório produtor, destinatário, legislação, trâmite, documentos básicos que compõem o registro, ordenação da série, conteúdo, vigência administrativa e destinação do documento. Para assim, atender as necessidades dos arquivos municipais.
    c) Ruipérez mostra diferentes modelos fazendo uma comparação entre eles, mostrando que nem todas as cinco funções (classificar, descrever, selecionar, acessar e difundir) estarão presentes na tipologia documental e nem por isso um modelo vai ser pior que o outro. Sendo assim o foco de Ruipérez é tornar claro que deve-se criar ou utilizar modelos já existentes que atendam as necessidades reais dos arquivos.

    Tarefa 2:

    a) Os diferentes modelos foram detectados através do estudo de diplomatistas onde examinaram documentos produzidos em tempos e jurisdições diferentes. Foi possível notar a grande quantidade de modelos devido a diversidade de contextos de criação: criador, finalidade, interpretação, situação, produção, entre outras características próprias de cada contexto. Ou seja, a diversidade está ligada a necessidade de se adaptar a diferentes contextos e situações.
    b) A importância surge da percepção de que não é possível criar uma “receita de bolo” que se adeque a todas as situações e contextos diferentes. É necessário conhecer o contexto de produção para então descobrir as funções daquele tipo documental para cada instituição.
    c) A desvantagem consiste na inadequação que se torna esse modelo ao ser aplicado nos diferentes contextos, pois não se permite observar as necessidades particulares de cada produção documental.

    ResponderExcluir
  42. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  43. Tarefa em grupo 2

    http://construindobrasilia.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-grupo-2.html

    ResponderExcluir
  44. Atividade individual 1 - Adriano Rocha Faria

    Série: Comprovante de pagamento de condomínio para controle financeiro.
    Modelo: LOPEZ
    Denominação do documento: Comprovante de pagamento de condomínio
    Forma: original
    Formato e dimensão: folha avulsa tamanho A4
    Suporte: papel
    Gênero: textual
    Validação: código da transação

    Modelo: ARAGON
    Código: Não se aplica
    Tipo Documental: Comprovante de pagamento de condomínio
    Transferência: Não se aplica
    Prazo de Conservação: 5 anos.
    Acesso: Restrito
    Prazo: 5 anos.

    Modelo: GRUPO DE MADRID
    1- Tipo Documental
    1.1 - Denominação: Comprovante de pagamento de condomínio
    1.2 - Definição: comprovar o pagamento mensal do condomínio.
    1.3 - Código de Classificação: Não se aplica
    1.4 - Caracteres externos: Boleto; original; português; folha avulsa, tamanho A4
    2. - órgão Produtor: Adriano Rocha
    3 - Legislação: Regimento interno do condomínio
    4 - Trâmite: administração do condomínio ao proprietário do imóvel;
    5 - Documentos que compõem o expediente: Não se aplica
    6 - Ordenação da série: cronológica;
    7 - Conteúdo: nome do proprietário, número do apartamento, valor, data de vencimento.
    8 - Vigência Administrativa - Não se aplica
    9 – Expurgo: 5 anos
    10 – Acesso: Restrito

    Série: Certificados de conclusão de curso
    Modelo: LOPEZ
    Denominação do documento: Certificados de conclusão
    Forma: original
    Formato e dimensão: folha avulsa tamanho ofício
    Suporte: papel
    Gênero: textual
    Validação: assinatura, carimbo, papel timbrado

    Modelo: ARAGON
    Código: Não se aplica
    Tipo Documental: Certificados de conclusão de curso
    Transferência: Não se aplica
    Prazo de Conservação: Permanente
    Acesso: Restrito
    Prazo: Permanente

    Modelo: GRUPO DE MADRID
    1- Tipo Documental
    1.1 - Denominação: Certificados de conclusão de curso
    1.2 - Definição: comprovar a participação e aprovação no curso.
    1.3 - Código de Classificação: Não se aplica
    1.4 - Caracteres externos: original; português; folha avulsa, tamanho A4
    2. - órgão Produtor: Adriano Rocha
    3 - Legislação: Não se aplica
    4 - Trâmite: Da empresa que leciona o curso para o aluno aprovado;
    5 - Documentos que compõem o expediente: Não se aplica
    6 - Ordenação da série: cronológica;
    7 - Conteúdo: nome da empresa que lecionou o curso, nome do curso, nome do aluno, data de conclusão, carga horaria.
    8 - Vigência Administrativa - Não se aplica
    9 – Expurgo: Permanente
    10 – Acesso: Restrito


    Série: Nota fiscal de eletrodoméstico para controle de compras
    Modelo: LOPEZ
    Denominação do documento: Nota fiscal de aquisição de eletrodoméstico
    Forma: original
    Formato e dimensão: folha avulsa tamanho A4
    Suporte: papel
    Gênero: textual
    Validação: chave de acesso

    Modelo: ARAGON
    Código: Não se aplica
    Tipo Documental: Nota fiscal de eletrodoméstico
    Transferência: Não se aplica
    Prazo de Conservação: 5 anos
    Acesso: Restrito
    Prazo: 5 anos

    Modelo: GRUPO DE MADRID
    1- Tipo Documental
    1.1 - Denominação: Nota fiscal de aquisição de eletrodoméstico
    1.2 - Definição: comprovar a compra e o proprietário.
    1.3 - Código de Classificação: Não se aplica
    1.4 - Caracteres externos: original; português; folha avulsa, tamanho A4
    2. - Órgão Produtor: Adriano Rocha
    3 - Legislação: Não se aplica
    4 - Trâmite: Da empresa que vende o produto para o comprador;
    5 - Documentos que compõem o expediente: Não se aplica
    6 - Ordenação da série: cronológica;
    7 - Conteúdo: nome do vendedor, nome do comprador, data da compra, valor do item, quantidade.
    8 - Vigência Administrativa - Não se aplica
    9 – Expurgo: 5 anos
    10 – Acesso: Restrito

    ResponderExcluir
  45. Atividade individual 2 – Adriano Rocha Faria
    Os modelos de análise diplomática e tipológica mostram-se flexíveis para se adaptar às mudanças ocorridas ao longo do tempo.
    Observa-se no texto que essas variações de modelos são motivadas pela evolução do Estado e o surgimento de novas tecnologias. A diplomática vale-se do estudo dos elementos extrínsecos e intrínsecos da forma documental para compreender o processo administrativo. Luciana faz uma análise desses elementos de acordo com cada período de criação das formas documentais, que são o medieval, moderno e contemporâneo. Em cada uma dessas formas de organização do Estado, foi alterado aspectos dos elementos externo e interno.
    Ademais, o motivo dessa exclusão e/ou inclusão de elementos ao documento é porque os processos dentro da organização foram sendo modificados e alguns requisitos de autenticação do documento foram se tornando desnecessários, ou não eram mais capazes de garantir autenticidade ao documento, e outros foram se incorporando para atender as necessidades que iam surgindo.
    A adoção formal de um único modelo oficial prejudica a análise documental que observa o contexto aquivístico de cada período.

    ResponderExcluir
  46. ATIVIDADE INDIVIDUAL 1
    Documentos: habilitação, Carteira Identidade, passe estudantil.
    A) LOPEZ: Mostra os elementos básicos do documento através da análise do mesmo, focando nos elementos intrínsecos do documento, analisa a tipologia do documento para definir sua função.
    B) ARQUIVISTAS DE MADRID: Visa analisar o trâmite dos documentos, analisando seu processo até o estado final onde se encontra, o arquivo.
    C) RUIPÉREZ: Utiliza métodos distintos para cada analise, traz propostas diferentes, e deve levar em consideração a função do documento para o produtor através de um modelo de análise mais complexo.

    ATIVIDADE INDIVIDUAL 2
    A) A existência de diversos modelo ocorre pelo fato de existirem diversos tipos de documentos totalmente distintos, precisando assim de vários modelos de análises diferentes.
    B) Os diferentes modelos são importantes para que o arquivista possa encontrar a melhor maneira de analisar o documento de acordo com o contexto de cada arquivo.
    C) Se existisse somente um modelo padrão não atenderia toda a diversidade de documentos de maneira correta através de cada especificidade pois restringiria a analisa tipológica do documento.

    ResponderExcluir
  47. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  48. Tarefa em grupo 3

    http://construindobrasilia.blogspot.com.br/2017/09/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html

    ResponderExcluir
  49. Atividade individual 1

    Lopez apresenta um modelo mínimo que trata o documento de forma isolada e traz características mais externas ao conteúdo enquanto Madrid apresenta um modelo mais amplo que representa a vida do documento, pois acreditam que o conhecimento do processo de formação do documento facilita sua recuperação. Ruiperez apresenta vários modelos distintos porque a finalidade de cada análise varia. Alguns dos modelos buscam representar a forma física do documento enquanto outros representam toda sua historia desde o ato de criação à destinação final.

    Atividade individual 2

    a)A diversidade se dá visto que existe vários tipos de documentos e cada organização difere da outra em sua finalidade.

    b)A importância dessa diversidade se faz necessária na utilização de uma análise específica para cada organização. Não tem como adotar um modelo universal.

    c)A adoção de um modelo seria falha porque nem todo documento/organização se enquadraria.

    ResponderExcluir
  50. Atividade individual 1
    Realizei a análise tipológica dos seguintes fundos do meu acervo pessoal: Educação, Moradia e Trabalho. A partir dessa análise, com foco no texto dos autores indicados, notei que

    1) Lopez opta por centrar a análise tipológica a partir das funções executadas pelo produtor, de forma a atribuir maior perenidade à análise tipológica. Seu método preconiza a identificação das espécies do acervo, quais funções e como elas se relacionam aos documento. Após sistematizar um esquema hierárquico que consolide as informações identificadas (suporte, formato, ou seja, características intrínsecas ao documento, formas de validação), capaz de ligar as espécies às funções e registrar os passos do processo e as definições que foram sendo elaboradas.
    2) Ruiperez busca comparar diversos modelos de análise tipológica, tendo em vista apontar a característica de cada um. Conclui que, devido à particularidade de cada arquivo, é necessário que seja possível cada instituição identificar qual modelo mais se adéqua às suas necessidades.
    3) Madrid – A análise parte do tipo documental, baseado na criação de um modelo de descrição baseado em aspectos como gênero, espécie, produtor, legislação, o trâmite, as séries e sua ordenação, destinatário e acesso. Determina ainda temporalidade e nível de acesso.
    Atividade Individual 2
    a) As razões para da existência de diferentes modelos – possibilita que cada instituição, a partir das suas particularidades, escolha a metodologia adequada para elaborar instrumentos arquivísticos.
    b) A importância da diversidade – a diversidade possibilita que a organização possa selecionar o modelo que melhor atende, não existindo um modelo ideal que se aplique a todas as situações
    c) As desvantagens da adoção formal de um único modelo oficial – a adoção de um modelo universal engessa e dificulta o atendimento às diversas demandas, ignorando as diferentes realidades que as organizações estão inseridas, dificultando a análise tipológica correta.

    ResponderExcluir
  51. Atividade 1: No modelo de Lopez vemos um modelo mínimo e simplista que trata o documento de forma isolada e mostra características mais externas ao conteúdo do mesmo. Em relação a Ruiperez temos que o mesmo apresenta inúmeros modelos diferentes pelo simples fato de a finalidad da analise tipologica variar, vemos que alguns modelos de Ruiperez tem como finalidade representar o documento enquanto outros modelos representan todo o contexto de criação e destinação final do documento. Em Madrid vemos que o importante é a vida do documento para facilitar sua recuperação, caso necessário. Dentro esses modelos encontrei um aprofundamente maior em Ruiperez, mas é importante ter em vista que os modelos podem se encaixar ou não nos documentos a depender da época da análise tipologica.

    Questão 2:
    A) A crítica diplomática precisa ser feita com a análise de itens intrínsecos e extrinsecos do documento. A escolha de quais itens utilizar é feita de maneira a se adequar às necessidades e contextualização da organização e da produção do documento. Sendo assim, com a utilização de diferentes modelos, a análise tipológica é otimizada.
    B) A diversidade contribui para a análise completa de um documento, uma vez que diferentes métodos com diferentes critérios se adequam a, também, diferentes épocas e modelos documentais.
    C) Assim como Duranti(1996)aplica conceitos elaborados para analisar documentos medievais em documentos atuais e eletrônicos, a crítica diplomática deve ser feita levando em consideração o contexto do documento. Dessa maneira, um modelo oficial de análise fugiria à ideia de adaptação para uma analise eficaz já que deveria ser constantemente atualizado.

    ResponderExcluir
  52. Atividade Individual 1
    O modelo de análise tipológica e diplomática mínima (LOPEZ) se importa com os aspectos básicos de identificação documental, de maneira mais geral e simplificada. Pode-se perceber que o que importa é a espécie e a função arquivística do documento, para o titular do documento.
    O modelo segundo o grupo de arquivistas municipais de Madri é necessárias diversas outras características, como código de identificação, destinatário, trâmite, período de guarda e acesso.
    Os modelos segundo Ruipérez alguns pedem varias informações, como o da prefeitura de Barcelona e de Madri, e outros que contém informações básicas, como o de Aragon.

    Atividade 2
    a) Para se adaptar a necessidade de diferentes tipos de documentos, analisando-os de acordo com o contexto, origem e época.
    b) Porque os documentos ao longo do tempo foram perdendo alguns elementos, ou outros foram acrescentados, como os modelos medievais, em comparação com os modernos. Por isso é necessária a distinção de modelos de análise diplomática e tipológica
    c) A estrutura da análise diplomática padrão faria com que diversos documentos deixassem de ser analisados, por não se enquadrar nos padrões, ou serem analisados de maneira incorreta, para se encaixar nele.

    ResponderExcluir
  53. Tarefa em grupo 2: https://oldschooldocs2017.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-grupo-2.html

    Tarefa em grupo 3: https://oldschooldocs2017.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-grupo-3.html

    ResponderExcluir
  54. Tarefa em grupo 1: https://cacharqdiplomatica.blogspot.com.br/2017/09/atividade-1-2809.html

    ResponderExcluir
  55. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  56. Tarefa em grupo 1:
    https://sosdiplomatica.blogspot.com.br/2017/09/conheca-um-pouco-mais-sobre-nos.html

    ResponderExcluir
  57. Atividade em grupo 1


    http://oldschooldocs2017.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-grupo-1.html?m=1

    ResponderExcluir
  58. Tarefa em grupo 1

    https://arquimigrantes.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-grupo-1.html

    ResponderExcluir
  59. Tarefa em grupo 1

    http://habeasdataunb.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-grupo-1.html

    ResponderExcluir
  60. Tarefa em grupo 1

    https://construindobrasilia.blogspot.com.br/2017/09/tarefa-em-grupo-1.html

    ResponderExcluir

clique para comentar