12 março 2016

Ciranda Cirandinha

                                                        Disponível em inarra.com


Bom dia turma,

Dando continuidade as atividades da semana, vamos trabalhar agora com uma muito utilizada ao longo dos semestres; A Ciranda Cirandinha.

Para esta, iremos utilizar um texto do professor:

- LOPEZ, A. Identificação de tipologias documentais em acervos de trabalhadores. In: MARQUES, Antonio José; STAMPA, Inez Tereznha Stampa. (Orgs.). Arquivos do mundo dos trabalhadores: coletânea do 2º Seminário Internacional. São Paulo; Rio de Janeiro: CUT; Arquivo Nacional, 2012, p. 15-31.(Acesso aqui)


Funciona assim: a primeira pessoa a postar deve realizar uma pergunta, em seguida, outra pessoa responde esta pergunta e deixar outra referente ao mesmo texto, e assim suscetivamente.
Caso vocês estejam respondendo uma questão e de repente outra pessoa a responde na sua frente, não tem problema, respondam mesmo assim assinalando de que pessoa você está respondendo.


Esta atividade é individual e obrigatória, as perguntas devem ser feitas e respondidas nos comments abaixo até as 17:00 Hrs da sexta do dia 18/03.


Ps: A primeira pessoa a propor uma pergunta nos comennts deverá responder a última pergunta que tenha sido postada até as 17:00 Hrs, tendo até as 18:40 Hrs do mesmo dia para responder.
________
Thadeu Alexander

55 comentários:

  1. Considerando que os documentos arquivísticos registram as atividades realizadas em função da missão de uma instituição e dos seus objetivos e só podem ser compreendidos a partir das relações que estabelecem entre si, pergunta-se: como os arquivos privados (de associações, partidos, etc) podem ser considerados para a construção da memória e da identidade desses grupos sociais?
    Andréia Firmino

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Eles são de fundamental importância pois são diretamente relacionados com a sociedade e com a vida nacional, logo, interferem em todos os cidadãos, no caso dos partidos podem até relatar casos de corrupção e no caso de sindicatos podem conseguir grandes benefícios para a classe que defendem, por isso a necessidade de conservar esses acervos privados que interferem no coletivo.

    Pergunta: o que, no que tange a diplomática, é no mínimo, necessário para identificar o que é documento?

    ResponderExcluir
  4. É preciso identificar a espécie do documento, como a informação está disposta, o formato,o suporte e por quais etapas o documento passou.

    Pergunta: Qual a função da tipologia documental?
    Valéria Lopes.

    ResponderExcluir
  5. A tipologia documental tem a função de possibilitar o entendimento do documento arquivístivo que é identificado pela diplomática, isto é, a espécie dentro da organicidade so arquivo( sendo a organicidade o estabelecimento da contextualização dos conjuntos documentais às funções, missões e atividades de determinada instituição etc).

    Pergunta:O quê uma fotografia precisa para ser considerada um documento arquivístivo e não apenas parte de uma coleção?

    ResponderExcluir
  6. Fotografias para serem consideradas documentos de arquivos precisam ser dotadas de organicidade, ou seja, precisa ter relação com outros documentos derivados de uma atividade do titular, com vínculos administrativos possibilitando assim a compreensão plena do significado do documento e não alterando sua função probatória.
    Pergunta: Segundo o texto qual a diferença entre diplomática e arquivologia?

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. A Diplomática se difere da Arquivologia porque ela tem como foco individualizar cada documento enquanto a Arquivologia busca por colocar cada documento em conjuntos mais amplos, sendo caracterizado pelas atividades que deram origem ao documento.

    Pergunta: Qual a distinção entre documentos arquivísticos da atividade-meio e da atividade-fim?

    ResponderExcluir
  9. Documentos da atividade-meio são originados para manter a execução da atividade-fim. Documentos da atividade-fim são originados em decorrência da finalidade de uma instituição. Essas diferenças são refletidas no tratamento documental e essa distinção determinará qual alcance o documento terá dentro da organização.

    Pergunta: Quando a Diplomática foi fundada e quais relações têm suas origens?

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Foi criada como disciplina em 1641 por Jean Mabilion, com a finalidade de verificar a autenticidade de documentos de posse de terras da nobreza através da análise de elementos que pudessem dar suporte a legitimidade dos mesmos,como os tipos de papel e tintas utilizadas,além de símbolos como brasões por exemplo.

    Pergunta: Segundo o texto o que diferencia Arquivologia e Diplomática?

    ResponderExcluir
  12. A Diplomática tende a fazer uma análise individual do documento enquanto a arquivologia procura inseri-los em conjuntos mais amplos,que são caracterizados pelos conjuntos os quais foram produzidos,que são as séries documentais.

    Pergunta: Qual é a tarefa do arquivista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Resposta a Thais Ferreira: É procurar compreender a missão e a visão da organização e a máquina administrativa, tomando a devida precaução de utilizar as funções explicitadas formalmente apenas como referencial e nunca como reflexo absoluto da realidade.

    Pergunta: Qual é a importância dos arquivos privados?

    ResponderExcluir
  15. Resposta a Letícia Farias: Os arquivos privados tem grande importância para história e memória, pois relacionam-se com a sociedade de várias formas contribuindo para multiplicação dos trabalhos intelectuais compondo ainda um universo documental muito heterogêneo.

    Pergunta: O que a ausência da análise tipológica põe em risco?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como essa pergunta já havia sido respondida lá em cima, vc poderia ter dado uma resposta mais analítica.

      Excluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. A ausência da análise tipológica compromete a compreensão do significado correto dos documentos. Isso é importante, pois o documento é claro para os contemporâneos à sua produção e aos fatos relacionados a ele, mas pode se tornar incompreensível para aqueles que se encontrarão em um futuro mais distante.

    Pergunta: Qual é a diferença entre documentos de arquivo e documentos de coleção?

    ResponderExcluir
  18. Segundo o texto, os documentos de coleção são armazenados unicamente de acordo com seu conteúdo, sem vínculo direto com as funções administrativas do titular arquivístico, não tendo, assim, estes documentos reunidos em coleção, relação direta com a comprovação de atividades do titular. Diferentemente, os documentos de arquivo possuem relação entre si, ou seja, estando correlacionados entre si, de maneira orgânica, em função das atividades do titular. Agora, se os documentos de arquivo são organizados em função de seu conteúdo, o que acontece de maneira recorrente, em detrimento a sua ordem original, ocorrerá a perda dos vínculos administrativos de suas funções arquivísticas, tornando-os peças-coleção, o que, consequentemente, provocará a perda do contexto arquivístico do documento, dificultando o entendimento do significado documento para aqueles de fora a sua criação.

    Pergunta: Por que a diplomática, como disciplina, ganhou importância no trabalho arquivístico?

    ResponderExcluir
  19. Respondendo a pergunta da Thailine.
    De acordo com o texto é porque a diplomática permite compreender, de modo sistemático, através de método específico, as características básicas e essenciais dos documentos.

    ResponderExcluir
  20. Quais os passos para a elaboração de uma tipologia mínima?

    ResponderExcluir
  21. Segundo o texto, uma tipologia mínima deve: identificar as espécies documentais; identificar as funções relacionadas a cada documento; sistematizar um esquema hierárquico que possa correlacionar as espécies com as respectivas funções; registrar os passos dos processos e definições elaboradas.

    ResponderExcluir
  22. Qual a importância da análise tipológica nos documentos de um acervo?

    ResponderExcluir
  23. Resposta à pergunta de rosana sou:
    Segundo o texto, a importância da análise tipológica está ligada ao fato de que existe diversidade de funções documentais que ocorrem na mesma espécie documental. A tipologia documental é responsável por estabelecer a ligação do documento diplomático com a função do titular arquivístico. Caso não haja a definição de uma tipologia documental para os acervos de documentos, a elaboração de quadros classificatórios será um exercício de retórica, uma vez que o plano de classificação deve ser capaz de articular, organicamente, as correspondências entre os diferentes documentos do arquivo de um dado titular com as respectivas funções. A partir da análise tipológica, é possível compreender o significado arquivístico de um documento e sua representação num plano de classificação.
    A ausência da análise tipológica põe em risco a compreensão do correto significado arquivístico dos documentos, uma vez que este significado espelha o uso feito pelo titular do fundo, como prova da realização de determinadas atividades.

    Pergunta: O que é necessário para realizar a análise tipológica de um documento?

    ResponderExcluir
  24. Resposta à pergunta de Milena Praxedes:
    Para realizá-la é fundamental entender como um conjunto documental específico ocorre em determinado arquivo, tendo especial cuidado em identificar os diferentes usos da mesma informação, que pode ocorrer, principalmente, em documentos múltiplos e em documentos que já nascem com características próprias para reprodução do conteúdo.Também é necessário observar possíveis ressignificações, possíveis de acontecer quando um documento muda, fisicamente, de titular arquivístico,geralmente por acumulação.

    Pergunta: Segundo o texto, qual a responsabilidade da tipologia documental?

    ResponderExcluir
  25. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  26. Resposta a Larissa Moreira:
    Segundo o texto, a tipologia documental é responsável por permitir a compreensão do documento identificado pela diplomática dentro da organicidade do arquivo, ou seja, possibilita um segundo nível de definição, que contextualiza os documentos dentro das atividades de seus titulares arquivísticos. A tipologia estabelece a ligação do documento diplomático com a função do titular arquivístico.

    Pergunta:
    Quais são os riscos da ausência de uma análise tipológica?

    ResponderExcluir
  27. Resposta à Nathaly Leite:

    A partir do texto entende-se que a ausência de uma análise tipológica pode acarretar riscos à compreensão correta do significado dos documentos (o que hoje pode ser inteligível para nós, pode não ser tão compreensível assim para posteriores).

    Questão:

    De acordo com o texto abordado, cite características para definir o que é documento e o que a análise diplomática acarreta sobre este.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Resposta á Felipe Henrique:


      Segundo o texto, podemos compreender que documento é qualquer informação produzida com finalidade de prova/esclarecer um procedimento judicial ou administrativo.Podem ser caracterizados segundo o gênero(diferentes tipos de suportes, exemplos:( documentos textuais, documentos cartográficos,filmográficos, iconográficos, sonoros...) , espécie ( fatos que deram origem, ou seja, á forma de registro dos fatos, ex:atos normativos( resolução, portaria...) e a natureza do assunto
      ( documentos podem ser ostensivo ou sigilosos).Também todo documento deve ser preservado, organizado e cumprir o seu prazo de guarda.E por fim, a Análise Diplomática dá o entendimento, de realizar uma leitura mais segura á respeito do documento e de facilitar á elaboração de resumos de documentos.

      Questão:

      Quais são as características básicas, para se fazer uma Análise Diplomática e uma Análise Tipológica de um documento de arquivo ?

      Excluir
  28. Análise Diplomática: deve conter o nome do documento (espécie), características internas (disposição da informação), características externas (forma, formato, dimensão e suporte, gênero e sinais de validação), bem como o trâmite da produção do documento.

    Análise Tipológica: um segundo nível de análise, buscando contextualização com seu complexo documental. É necessário identificar seu Fundo/titular, espécie, função arquivística e tipo.


    Pergunta: Como definir o Tipo arquivístico do documento, de acordo com o texto?

    ResponderExcluir
  29. Resposta à Clara de luccas

    A tipologia documental é responsável por permitir a compreensão do documento antes analisado diplomaticamente e dentro da organicidade do arquivo (contextualização tipológica).
    Uma vez identificada a espécie é analisado o contexto arquivístico, ou seja, relação do documento com as atividades do produtor e com os demais documentos produzidos.
    A junção da espécie com a função de uso é responsável por definir o Tipo Documental ou arquivístico.


    Pergunta: Por que a falta da Análise Tipológica, quando da elaboração de um plano de classificação, pode prejudicar irreversivelmente o entendimento sobre a realidade da entidade produtora, por parte dos futuros pesquisadores ?

    ResponderExcluir
  30. Por que a falta da Análise Tipológica, quando da elaboração de um plano de classificação, pode prejudicar irreversivelmente o entendimento sobre a realidade da entidade produtora, por parte dos futuros pesquisadores ?
    Porque a tipologia documental é responsável por estabelecer a ligação do documento diplomático com a função do titular arquivístico e a sistematização desse nexo dentro de um conjunto arquivístico se dá pela confecção de um plano de classificação que possa articular, de forma orgânica, as correspondências entre os diferentes documentos do arquivo e suas respectivas funções. A ausência da análise tipológica poe em risco a compreensão correta do significado dos documentos, de forma que seu significado seria compreensível apenas para aqueles que de alguma forma tiveram envolvimento em sua produção ou aos fatos a ele relacionados, mas que não seria de fácil interpretação para pesquisadores no futuro.

    Quais são os possíveis problemas relacionados a produção documental em organizações sem padronização normativa para a produção e trâmite documental?

    ResponderExcluir
  31. A compreensão do sentido institucional de um documento moderno passa,
    também, pelo conhecimento de seu trâmite administrativo e das relações
    que o mesmo documento guarda com seus sucessores e antecessores nesse
    trânsito. Dessa forma, caso o documento não tenha uma pradronização normativa para a produção e trâmite, esse documento não representara de forma autêntica a situação vivida pela instituição produtora, pois poderão faltar informações de ducumentos ligaos a esse que complementam o entenimento da informação. Sem essas normas os documentos podem perder sua função, pois dependerão de outros documentos para validar a informação.


    Como os diferentes focos da Diplomática e da Arquivoligia sobre o documento as tornam complementares?

    ResponderExcluir
  32. Resposta a Lucas Andreozzi

    O entendimento do conteúdo dos documentos das séries documentais se dá pela compreensão do conteúdo dos documentos, tanto no sentido individualizado do documento, campo da diplomática, como a maneira como o documento se relaciona organicamente com os outros documentos da série em que está inserido.

    Por que os arquivos nao podem apenas ter o papel de "repositórios do passado"?

    ResponderExcluir
  33. Resposta a Lucas Andreozzi

    O entendimento do conteúdo dos documentos das séries documentais se dá pela compreensão do conteúdo dos documentos, tanto no sentido individualizado do documento, campo da diplomática, como a maneira como o documento se relaciona organicamente com os outros documentos da série em que está inserido.

    Por que os arquivos nao podem apenas ter o papel de "repositórios do passado"?

    ResponderExcluir
  34. Resposta ao Thúlio Bezerra:
    Devido ao contexto que envolve o arquivo, devemos pensá-lo como um elemento de interpretação, e, com isso, traduzido em diversas visões diferentes da história e pontos de vista da memória.

    Pergunta: Quais os principais elementos que devem ser considerados para a identificação dos documentos de arquivo?

    ResponderExcluir
  35. Resposta a Thúlio Bezerra

    No contexto do artigo, que consagra o valor de acervos de movimentos sociais, é dito que apesar de a preservação de documentos contribuir para a memória e para a história, muitas vezes os critérios adotados para esta preservação privilegiam o testemunho de grupos dominantes, fazendo com que o vestígio da atuação de outros sujeitos históricos sejam apagados, e dessa forma, recusando o direito destes indivíduos ao próprio passado. Isso serve como embasamento para afirmar que os arquivos, além de preservarem o passado, podem servir de insumo para a constituição de múltiplas visões da história e para a construção de inúmeras memórias, tendo em vista a possibilidade do surgimento de inúmeras versões a respeito de um determinado contexto histórico, a depender da fidedignidade do registro dos fatos.

    Pergunta: Como as distinções entre atividades-meio e atividades-fim se refletem no tratamento documental?

    ResponderExcluir
  36. Resposta ao Pandava Arjuna:

    A preservação dos documentos-meio restringe-se à vigência
    legal e ao seu uso administrativo, enquanto que os documentos-fim são,
    frequentemente, destinados à guarda permanente.

    Quais são as principais características para identificar um documento por meio da diplomática ?

    ResponderExcluir
  37. Resposta à pergunta de Bruno.
    Se considerarmos que a análise diplomática está associada as aspectos da legalidade do documentos (ser produzidos por pessoa com poder para tal), estar dentro das práticas da época (de acordo com a espécie documental) e dentro do que se concebe como diplomaticamente histórico (representar atos ou ações ocorridas). A análise deve ser basear na 1. identificação da espécie documental; 2. características internas ( proveniência, funções, atividade, conteúdo substantivo, data tópica, data cronológica); 3. característica externas (volume, suporte, formato, forma, gênero); 4. trâmite (etapas pelas quais o documento passou). Essas etapas podem ainda ser acrescidas de outras intermediárias como a língua, o modo de escrita e o tipo, segundo Bellotto (2002).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A "legalidade" não bem o que você indica. Dentro do contexto da resposta está ok, mas acho que "competência" seria mais preciso.

      Excluir

clique para comentar