02 setembro 2011

Discutindo o que é um documento de arquivo

Copiado de Grupo Escoteiro Lajes 01-SC
Muita polêmica tem sido criada sobre quais seria as características básicas e definidoras de um documento de arquivo. Parte do debate é centrado no próprio conceito de documento. Por exemplo, muitas pessoas entendem que documentos têm que ser oficiais e escritos. Há outras definições mais amplas que propõem um entendimento de outros registros como documentos e até mesmo como documentos de arquivo. O capítulo 1.1 do livro de Mariano García (foi distribuído individualmente) indica algumas definições.O texto de André Lopez traz uma visão um pouco menos restrita do conceito. A atividade, INDIVIDUAL e OBRIGATÓRIA, consiste em analisar, com fundamento em pelo menos um dos dois textos mencionados , algumas possibilidades de entendimento de documento. 

A sistemática é a seguinte:

1. O primeiro aluno deverá

  • a1) responder se o exemplo que ilustra esse post pode ser considerado um documento?
  • b1) responder se esse exemplo pode ser considerado um documento de arquivo? (nesse caso precisa indicar sob quais condições)
  • OBS: As respostas "a" e "b" devem estar fundamentadas em pelo menos um argumento de alguns dos textos mencionados.
  • c1) contra-argumentar as próprias respostas "a" e "b" com base em algum outro texto, diferente dos mencionados neste post.
  • d1) propor um novo exemplo de documento para o aluno seguinte

2. O segundo aluno deverá 
  • a2) responder se o exemplo indicado pelo aluno anterior pode ser considerado um documento?
  • OBS: Não esquecer de identificar qual é o exemplo que está respondendo, pois pode haver acumulo de respostas em função de possível simultaneidade na execução das tarefas.
  • b2) responder se esse exemplo pode ser considerado um documento de arquivo? (nesse caso precisa indicar sob quais condições) 
  • OBS: As respostas "a" e "b" devem estar fundamentadas em pelo menos um argumento de alguns dos textos mencionados.
  • c2) contrapor a resposta do aluno que o antecedeu, embasando a resposta em algum texto de arquivologia, diferente dos textos mencionados neste post. 
  • d2) propor um novo exemplo de documento para o aluno seguinte.
3. Os demais alunos seguem os mesmos procedimentos do aluno anterior.

Utilizem o campo "comente&argumente" abaixo para anotar a resposta.

A atividade, por ser considerada complemento da aula presencial, deverá ser respondida até HOJE às 21h00.

Outro exercício semelhante com o mesmo texto base foi feito pela turma 1/2011 aqui 

****************************
André Lopez

123 comentários:

  1. Próximo: Uma reclamação de voz gravada no callcenter de uma empresa telefônica.

    ResponderExcluir
  2. Farei do exemplo da Nasa

    ResponderExcluir
  3. vou Responder do Janderson.
    Bernardo Chacur 09/0107462

    ResponderExcluir
  4. Indico o quadro de Leonardo da Vinci Monalisa

    ResponderExcluir
  5. Farei sobre o CallCenter!

    E indico uma ata de reunião da reitoria da Universidade de Brasília!

    ResponderExcluir
  6. Minha sugestão de documento é uma conta de restaurante:
    http://farm5.static.flickr.com/4015/4304514227_c960fdf33a.jpg
    De acordo com as fundamentações da diplomática, podem ser considerado documento?
    Bernardo Chacur 09/0107462

    ResponderExcluir
  7. Estou respondendo sobre o primeiro documento.

    Indico http://www.google.com.br/imgres?q=documentos+pessoais&start=62&num=10&hl=pt-BR&gbv=2&biw=1280&bih=817&tbm=isch&tbnid=TIewBoHpsfzNlM:&imgrefurl=http://www.prr5.mpf.gov.br/prr5/index.php%3Fopcao%3D4.4.3&docid=E3hbPoiXPhT_xM&w=1002&h=1670&ei=kVZhTpDZNISztweEprgU&zoom=1&iact=rc&dur=477&sqi=2&page=4&tbnh=169&tbnw=101&ndsp=21&ved=1t:429,r:1,s:62&tx=64&ty=80

    ResponderExcluir
  8. Farei o do Nasser e indico um processo administrativo de contratação de servidor.

    Maryanna Almeida

    ResponderExcluir
  9. Responderei sobre o quadro de Leonardo da Vinci.
    Rachel 09/0129121

    ResponderExcluir
  10. Irei fazer o exemplo do Janderson.

    Meu exemplo é: Um suposto documento vaza da Blizzard Entertainment falando sobre suposta data de lançamente do novo jogo da empresa, usários ficam "loucos" com a infomação contida.

    ResponderExcluir
  11. Vou fazer do quadro da Monalisa e vou indicar:

    Um e-mail impresso que solicita à uma universidade dos EUA, a possibilidade de intercâmbio de um aluno da UnB

    ResponderExcluir
  12. Estou respondendo sobre o primeiro documento.

    Indico: http://www.prr5.mpf.gov.br/prr5/conteudo/espaco/pj/documentos/historico_faculdade.jpg

    ResponderExcluir
  13. vou responder ao Bernardo... e indico um post do blog http://diplomaticaetipologia.blogspot.com, pode ser considerado um documento?

    ResponderExcluir
  14. Responderei sobre o documento indicado pela Paula. E indico um diploma de conclusão do curso de Bacharel em Direito.
    http://www.prr5.mpf.gov.br/prr5/conteudo/espaco/pj/documentos/diploma-frente.jpg

    ResponderExcluir
  15. Vou responder o da Ananda.

    Indico: um aviso na parede proibindo fumar.

    ResponderExcluir
  16. Farei sobre o da Ananda e indico uma planta baixa (construção civil).

    ResponderExcluir
  17. Vou responder o da Rachel - troféu de campeonato e indico uma conta de luz

    ResponderExcluir
  18. Irei fazer o exemplo da Laís Manieri, indico o Diário Oficial da União em uma publicação online. Um exemplo pode ser encontrado em .

    ResponderExcluir
  19. Irei fazer o exemplo da Laís Manieri, indico o Diário Oficial da União em uma publicação online. Um exemplo pode ser encontrado em: http://www.tahnamao.net/wp-content/uploads/2010/07/300px-DiarioOficial_escravidao35201.jpg

    ResponderExcluir
  20. Responderei sobre o da Hellen e indico um receituário médico

    ResponderExcluir
  21. Vou responder da Héllen.
    Meu exemplo é: Conta de Luz paga pelo STJ

    ResponderExcluir
  22. vou fazer sobre o exemplo do quadro da monalisa e indico "Uma gravação sonora do depoimento de um deputado na CPI do Congresso Federal"

    ResponderExcluir
  23. Vou responder sobre o da Héllen
    e indico uma filmagem de uma viagem feita por um grupo de amigos.

    ResponderExcluir
  24. vou fazer o exemplo da nasa


    vou indicar uma camisa de futebol do seu time.

    ResponderExcluir
  25. Vou responder da Bruno Souza.
    Meu exemplo é: Cartaz de atenção de não fumar, não beber e não comer no laboratório da UnB

    ResponderExcluir
  26. Farei sobre o da Cíntia Frasão


    E indico o seguinte contra cheque para análise.

    http://webdesign.cirinowifi.com/extimages/p_ContraCheque.jpg

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. Mesmo que a sugestão o colega comunista Janderson fuja do convencional, a gravação de uma reclamação de um call center pode ser considerado um documento. Afinal de contas é um registro (eletrônico suporte), nele há um indivíduo que efetuou a reclamação: seja de um produto, seja de um serviço prestado. Na reclamação registrada ocorre em determinada data específica e se refere a um determinado assunto.
    Posteriormente, a tal reclamação pode servir de fundamentação para um estudo mais elaborado. Ou simpesmente, servir de instrumento para um PROCON regional registrar as principais reclamações daquela cidade. Por meio das reclamações o PROCON conseguirá ver quais serviços ou produtos possuem maior credibilidade, ou têm a sua "fama" suja.

    ResponderExcluir
  29. Vou responder o do Lucas Moreira e indico como exemplo uma arma utilizada em um crime.

    ResponderExcluir
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  31. Frederico Mourão2 de set de 2011 19:37:00

    Postando como primeiro aluno:
    a1) O exemplo que ilustra o post PODE ser considerado um documento, pois, de acordo com Mariano Garcia Ruipérez, tendo por referência Picard, documento é "toda comunicação escrita ou gravada";
    b1) O exemplo pode ser considerado um documento de arquivo. Isto porque é um documento que conta com um signatário, uma comunicação de um fato que pode ser registrado, inclusive historicamente; e uma forma documental que identifica o tipo de documento;
    c1) Ana Márcia Lutterbach Rodrigues (Perspect. ciênc. inf., Belo Horizonte, v.11 n.1, p. 102-117, jan./abr. 2006) define como arquivo "um conjunto de documentos produzidos e recebidos no
    decurso das ações necessárias para o cumprimento da missão predefinida de uma determinada entidade coletiva, pessoa ou família". Neste sentido, o exemplo não constituiria um documento de arquivo;
    d1) Novo exemplo de documento: diploma de graduação em Arquivologia.

    ResponderExcluir
  32. vou responder sobre que a Cíntia Frasão indicou, diploma de conclusão do curso de Bacharel em Direito.
    http://www.prr5.mpf.gov.br/prr5/conteudo/espaco/pj/documentos/diploma-frente.jpg . Indico uma nota técnica.

    ResponderExcluir
  33. Postando como primeiro aluno:
    a1) O exemplo que ilustra o post PODE ser considerado um documento, pois, de acordo com Mariano Garcia Ruipérez, tendo por referência Picard, documento é "toda comunicação escrita ou gravada";
    b1) O exemplo pode ser considerado um documento de arquivo. Isto porque é um documento que conta com um signatário, uma comunicação de um fato que pode ser registrado, inclusive historicamente; e uma forma documental que identifica o tipo de documento;
    c1) Ana Márcia Lutterbach Rodrigues (Perspect. ciênc. inf., Belo Horizonte, v.11 n.1, p. 102-117, jan./abr. 2006) define como arquivo "um conjunto de documentos produzidos e recebidos no
    decurso das ações necessárias para o cumprimento da missão predefinida de uma determinada entidade coletiva, pessoa ou família". Neste sentido, o exemplo não constituiria um documento de arquivo;
    d1) Novo exemplo de documento: diploma de graduação em Arquivologia.

    ResponderExcluir
  34. Responderei o da Keyciane e indico um parecer médico.

    ResponderExcluir
  35. Vou responder o da Lucélia e indico um álbum de fugirinhas do campeonato brasileiro.

    ResponderExcluir
  36. Responderei o da Érica.

    E indico uma foto institucional.

    ResponderExcluir
  37. vou responder o da cíntia e indico:
    uma gravação de voz de um faxineiro, falando sobre roubos na empresa em que trabalha.

    ResponderExcluir
  38. Respondendo ao exemplo de Laís Manieri, o quadro de monalisa pode sim ser considerado um documento visto que, tendo como fundamento o texto de André lopez, que documento é "qualquer informação fixada em um suporte. O quadro traz informações referentes a uma certa época , a um estilo de pintura, a uma tendência cultural, presente em um suporte material. b1)Se tomarmos o contexto de produção do quadro também podemos classificá-los como documento de arquivo, sendo que ele nasceu com valor primário(administrativo) e tomou valor secundário(histórico) ao passar do tempo. Aguardo a resposta da Laís para contraposição.

    ResponderExcluir
  39. Nilsa Paulo de Azevedo2 de set de 2011 19:44:00

    Vou fazer o da nota fiscal do restaurantehttp://farm5.static.flickr.com/4015/4304514227_c960fdf33a.jpg que o Bernardo Chacur indicou e indico o documento Histórico Escolar.

    ResponderExcluir
  40. vou responder o Bruno Corsino e indico a RBHA 137, APROVADO PELA
    PORTARIA No 454/DGAC DE 08 DE JULHO DE 1999, PUBLICADA NO DOU
    No 139, DE 22 DE JULHO DE 1999

    ResponderExcluir
  41. Vou responder o do Rafael e indico um cheque sem assinatura. Disponível em : http://www.google.com.br/imgres?q=documentos+sem+assinatura&um=1&hl=pt-BR&tbm=isch&tbnid=PNRTat70ylJ6GM:&imgrefurl=http://www.seculodiario.com/exibir_not.asp%3Fid%3D11642&docid=OX4ZcEompYLOqM&w=670&h=287&ei=SVlhTtbjA8zAtgeay7XnDw&zoom=1&iact=hc&vpx=234&vpy=268&dur=1054&hovh=147&hovw=343&tx=207&ty=91&page=1&tbnh=90&tbnw=209&start=0&ndsp=11&ved=1t:429,r:8,s:0&biw=960&bih=652

    ResponderExcluir
  42. Segundo Alberto Tamayo, este tipo de documento (Uma gravação sonora) não pode ser considerado um documento de fato, pois apenas os documentos diplomáticos são considerados como tal ou seja, apenas documentos que materializam atos ou negócios que modifica ou extingue uma determinada situação jurídica, na forma escrita mesmo que, como no caso seja utilizado como prova para o inquérito em questão.

    ResponderExcluir
  43. Vou fazer o documento histórico escolar e indico uma foto da Unb na déc. de 80.

    ResponderExcluir
  44. Respondendo o do Bruno Souza.....
    Uma conta de luz paga pelo STJ, é um documento pois como explicitado no texto do prof André Lopez, um documento é toda informação contida em um suporte. Pode ser considerado um documento arquivístico, como foi produzido no decorrer da função administrativa do STJ, e acumulado para fins administrativos ou históricos. O documento arquivístico conta de luz do STJ, pertencerá a um fudo que poderá ser fundo STJ em um arquivo público, por exemplo.

    ResponderExcluir
  45. Respondendo o post do colega Arthur:
    O contracheque indicado (http://webdesign.cirinowifi.com/extimages/p_ContraCheque.jpg) constitui tanto um documento quanto um documento de arquivo, inclusive porque conta com uma formatação específica (forma / tipo), identificação do emitente e do destinatário do documento, o registro de um evento (pagamento de salário), datas (emissão e pagamento) e organicidade (vinculação a uma atividade organizacional).

    ResponderExcluir
  46. Respondendo a pergunta Héllen

    Uma planta baixa pode ser considerado um documento de prova da construção, medidas e seguimento de normas técnicas de uma determinada obra

    B1)segundo Lopez
    " um documento de arquivo é específico pois se trata, necessariamente, do produto de uma vontade administrativa" uma planta baixa mostra como será as medidas de uma determinada obra e poderá ser utilizada futuramente para servir como base para outras modificações. E serve para mostrar que determinada obra seguiu as determinações iniciais. E também é um documento administrativo para o seu produtor pelo fato de comprovar suas atividades.

    ResponderExcluir
  47. Nilsa Paulo de Azevedo2 de set de 2011 20:04:00

    Respondendo sobre o documento Conta de restaurante:
    de acordo com GARCIA,2007,tendo em vista que a conta de restaurante é um documento que materializa por escrito um ato de um negócio, em virtude da qual se cria, se modifica ou se extingue determinada situação jurídica citando Alberto Tamayo que afirma que é um documento e um documento diplomático

    ResponderExcluir
  48. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  49. Respondendo a proposta da Ananda sobre e-mail impresso- solicitação de intercâmbio:

    a)Citado no texto de Mariano Ruipérez (2007), e afirmado inicialmente pelo Dicionário de Atualidades (Madrid, 1732); o documento é uma forma escrita que sirva de referência a algo, para ensinar, justificar ou comprovar algo; asism como objetos representativos. No caso metodológico, seria considerado um documento. Entretanto, levando-se o aspecto contextual, um e-mail não seria a forma legal e/ou legítima de se realizar uma requisição diplomática. Em 2008, o Congresso Nacional brasileiro aprovou a lei que se considere e-mails como sendo documento, contudo, os mesmo deveriam estar grafados oficialmente, por meio de um certificado digital¹. Caso o e-mail tenha sido gerado com o certificado, poderá ser considerado um documento, oficial. Podendo ser utilizado posteriormente para fins de prova, considerando as ressalvas e as complementações na informação inicialmente fornecida.

    b) Documentos arquivísticos são, em resumo, documentos em qualquer suporte, de qualquer índole, que contenha informação de interesse para uma determinada matéria(RUIPÉREZ, 2007, p.15). No caso apresentado o interessado (remetente) seria o aluno requerente do intercâmbio-representado pela entidade da Administração Pública-Universidade de Brasília-, e oficialmente a República Federativa do Brasil. A espécie documental aceitável para o teor informativo seria a Mensagem; instrumento para que haja trocas entre chefes de Estado, abrangendo teores diplomáticos, como o caso exposto. Contudo é pre-requisito que tenha sido assinado a próprio punho pelo chefe de Estado requerente. Considerando, superficialmente, as meras informações fornecidas e posteriormente acrescentadas, o referido documento poderia ser considerado como de arquivo se possuísse a assinatura eletrônica oficial e devido ao teor informativo fosse, preferencialmente, uma Mensagem

    ¹ http://info.abril.com.br/noticias/ti/projeto-de-lei-pode-tornar-e-mail-documento-14052009-46.shl

    ResponderExcluir
  50. Vou fazer o documento sugerido pela Karla - Cheque sem assinatura.

    ResponderExcluir
  51. Como não respondia letra "C" aqui vai:
    De acordo com a fundamentação da Nova História ou Escola Dos Anais criada na França, por George Duby e Jaques Le Goff. Documento é todo e qualquer tipo de registro, que tragam informações do passado. Diferente dos positivista, do séc XIX, onde acreditavam que documento somente eram aqueles feitos pelo Estado e registrado em papeis.
    Hoje, os documentos são muito mais em meios "alternativos" do que em papeis. Documento pode ser desde uma música, até o material genético de uma determinada população.
    O curso de História da Universidade de Brasília também dá esta mesma argumentação de documento, digo isto, pois aqui passei 5 anos nesse curso.

    ResponderExcluir
  52. Janaina Galvão:


    Vou responder o do Rafael C e indico uma passagem aérea.

    ResponderExcluir
  53. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  54. Lais Mainieri S. C. de Carvalho 09/0027515
    A1) Sim pode ser considerado um documento. Baseado com o Dicionário de uso do espanhol de M. Moliner que diz que documento “é o testemunho escrito de épocas passadas que serve para reconstruir sua história” e o “escrito que serve para justificar ou acreditar algo”. Acredito que este documento tenha seja mais para definição dois por ter sido criado apenas como testemunho e prova de que o selo dos escoteiros foi usado pelo astronauta Neil A. Armstrong.
    B1) Ele é um documento arquivístico de acordo com o J.J Real Diaz que define documento como “ qualquer coisa escrita de caráter legal, histórico e administrativo que se conserva nos arquivos “. Ele é bem abrangente e não define como muitos dos outros autores que documentos de arquivos são apenas aqueles que são úteis para o tramite da instituição etc. Visto que esse documento tem como objetivo, informar e provar e não de participar de algum tramite administrativo.
    C3) Em contra ponto, o autor Luiz Nunez Contreras restringe a documentos apenas aqueles que são a representação ou reflexo escrito das relações políticas, jurídicas, sociais e administrativas estabelecidas entre os homens tanto em nível particular como em nível oficial.
    E quanto aos documentos arquivísticos, dentre os vários autores que não considerariam tal documento como documento de arquivo; me embasei em A. Tanodi que diz que o documento de arquivo é o suporte que contém um texto que é resultado de uma atividade de uma entidade, efetuada em cumprimento de seus objetivos e finalidades. Com relação a NASA tal documento não seria de um documento arquivisitico, por não ser parte de um tramite, e não ter finalidade em atividade administrativa, legal ou jurídica da instituição.

    ResponderExcluir
  55. a1)O histórico escolar pode sim ser considerado um documento,já que segundo o artigo 76 da Lei 8/1995''...se entende por documento todo testemunho de funções humanas recorrido a um suporte perdurável e expressado em linguagem oral ou escrita, natural ou codificado.''

    b1) Sim.Pois, segundo o texto de professor André Porto Ancona Lopez, "O documento de arquivo é, antes de mais nada, uma prova administrativa de determinadas atividades.Ele contextualiza sua própria gênese administrativa e os vínculos diretos com os processos e as funções responsáveis por sua existência."

    ResponderExcluir
  56. a) Um troféu de campeonato pode ser considerado um documento. De acordo com o texto do professor André Lopez documento é uma informação associada a um suporte, podendo ser até mesmo objetos banais. A informação associada ao troféu é que houve uma competição e que a pessoa que ganhou o troféu venceu esta competição, e o suporte dessa informação é o próprio troféu.
    b) Por outro lado o troféu não pode ser considerado um documento de arquivo, pois segundo o texto do Mariano Garcia o documento para ser considerado arquivístico deve estar em linguagem oral ou escrita, o que não acontece com o troféu.

    ResponderExcluir
  57. Usei o da NASA.

    A)Sim. Segundo Ruipérez citando Moliner o documento é o escrito passado que serve para reconstruir sua história um escrito que sirva para justificar o acreditar em algo. Seguindo estes pressupostos podemos avaliar que é sim um documento. Mas se é um documento é autentico original ou é um documento de arquivo ou museu, isso cabe outro tipo de análise.

    B) NÃO para a NASA e SIM para os Escoteiros. Apesar de conter o logotipo da NASA e a assinatura de um membro desta instituição este documento (o original) não é Arquivístico para instituição NASA. Isto se dá pela argumentação do prof. André Lopez citando o Dicionário de Termologia Arquivística: “Conjunto de Documentos produzidos e acumulados por uma entidade coletiva, pública ou privada, pessoa ou família, no desempenho de SUAS atividades, independentemente da natureza do suporte.” A NASA tem como atividade fim a pesquisa aeroespacial. Entretanto os motivos que provavelmente fizeram Neil Armstrong levar o botom dos escoteiros à lua, certamente coincide com o do escotismo, o que torna isso um documento fruto da atividade do Grupo Escoteiro Lajes 01-SC.

    C) Segundo Henry Rousso em “Arquivo ou Indício de uma Falta” este exemplo não pode ser tratado como um documento. Pois, “todo documento exige, para ser significativo, uma recontextualização – especialmente no caso do arquivo escrito - que implica que sejam examinadas séries mais ou menos completas para se coompreeder a lógica, no tempo e no espaço, ou da instituição que produziu este ou aquele documento.” Portanto este documento sem seu contexto não provaria nada, nem a ida à Lua ou atividade de escotismo.

    c)Já mencionei no primeiro post.

    ResponderExcluir
  58. Respondendo o exemplo da Ananda.

    a) Segundo as diversas definições de documento apresentadas por Ruipérez (2007) pode-se verificar que um e-mail impresso que solicita à uma universidade dos EUA a possibilidade de intercâmbio de uma aluno da UnB pode ser considerado um documento já que, por exemplo, o autor cita Picard ao dizer que toda documentação escrita ou gravada é um documento. Schellenberg por sua vez, autor também citado por Ruipérez, define o documento como o testemunho de qualquer atividade de homem afixado em um suporte perdurável que contenha informação. Levando esses e outros autores em consideração, pode-se afirmar que o exemplo a ser analisado é de fato um documento.
    b) Para ser considerado um documento de arquivo C. Gutiérrez Muñoz defende que o mesmo deve ser produzido e reunido por indivíduos ou instituições em razão de suas funções e atividades em vista de seus objetivos. As outras definições levam em conta também a importância que um documento de arquivo tem para a administração da instituição. Para tanto, um e-mail recebido por uma universidade sobre um possível intercambio pode ser avaliado como um documento de arquivo se a universidade que o recebeu tem um setor de intercâmbios que lide com esse tipo de demandas e se esse documento traga informações importantes para o acompanhamento dessa demanda.

    ResponderExcluir
  59. Ata de reunião

    a) O exemplo da ata de reunião pode ser considerado um documento com base na afirmação de Schellenberg (apud Ruipérez, 2007) onde o testemunho da atividade do homem registrado em suporte duradouro que contenha informação. O conceito de documento é visto como resultado da atividade do homem, da sua necessidade de interação, de comunicação em uma linguagem codificada.

    b) Uma Ata de reunião de uma instituição pode ser considerada um documento de arquivo. Segundo Gutierrez Muñoz (apud Ruipérez, 2007) os documentos de arquivo são aqueles que foram produzidos ou reunidos por instituições ou pessoas no exercício das suas atividades, constituído de elemento de prova ou de informação.
    No exemplo a ata de reunião é o produto das atividades executadas pela instituição, serve a um propósito pré-estabelecido e responde aos objetivos funcionais da organização.

    c) Para Paes (1997), o documento de arquivo é definido por documentos gerados para atender objetivos funcionais, é orgânico gerado em numero limitado e, é constituído de elemento de testemunho e/ou comprobatório.

    ResponderExcluir
  60. A planta baixa é sim um documento, pois segundo Garcia "para os documentalistas um documento é qualquer suporte, de qualquer índole, que contém informação de interece para um determinado assunto" (tradução nossa), e esse documento se encaixa nesse conceito, porque apresenta em suporte de papel dados a respeito do projeto do que será construído, possibilitando a concretização da obra.
    Também é considerado um documento de arquivo, devido a necessidade dele para regularizar o imóvel, tendo que estar conforme o projeto, representado não só na planta baixa, mas em todas as plantas, servindo como prova. Para fazer reformas recorre-se as plantas, que, normalmente, ficam arquivadas com o dono o imóvel ou no órgão responsável, no caso de instituições públicas.

    ResponderExcluir
  61. é considerado como documento todo suporte que registra informação, o exemplo que ilustra esse post pode ser considerado um documento de arquivo. ele certifica que a insígnia mundial de escuteiros estava na primeira expedição a lua. “Documento de arquivo é aquele que, produzido ou recebido por uma instituição pública ou privada no exercício de suas atividades, constitua elemento de prova ou de informação.”(ROSSEAU)

    considerando que a insígnia dos escoteiros só tem valor "sentimental" e nao tem nenhum valor informacional sobre a priemeira expedição a lua, não pode ser considerado um documento de arquivo e sim um item de coleção. Krzstof Pomian disse em seu livro Memória-História que coleção é “[...] qualquer conjunto de objetos naturais ou artificiais, mantidos temporária ou definitivamente fora do circuito das atividades econômicas, sujeitos a uma proteção especial num local fechado preparado para esse fim, e expostos ao olhar do público”.

    ResponderExcluir
  62. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  63. a1)O receituário médico é considerado um documento importantíssimo na relação entre o médico e o paciente. Já que,a receita deve ser registrada pelo profissional no prontuário do paciente e se constituidessa forma em documento de valor jurídico, sendo a prova material da consulta.
    b1) Sim, tal documento contém informações de testemuno com suporte já definido em lei e que serve de testemunho de prova. Além da receita servir como único documento testemunhal de um ato profissional.

    ResponderExcluir
  64. Uma gravação de voz de um faxineiro, falando sobre roubos na empresa em que trabalha.
    (a)Pode ser considerado um documento, pois segundo afirma Dargebte, o documento pode ser entendido como “ todo conocimento susceptible de ser utilizado como objeto de estudio, o prueba de uma proposición presentado sobre um suporte material de cualquier naturaleza y forma”. Isto mostra que o documento em análise serve como prova de uma ação realizada em uma empresa. Independente qual seja o suporte que abriga a informação gravada.
    (b)Também pode ser considerado documento de arquivo, visto poder ser útil, inclusive, em uma investigação criminal ou algo semelhante, em que o furto possa interferir em alguma função ou atividade da empresa , sendo dessa maneira importante que a gravação seja guardada no acervo da empresa em questão.

    ResponderExcluir
  65. a)O exemplo considerado pode ser um documento, pois segundo Shellemberg o documento pode ser definido como "todo testemunho da atividade do homem fixado em um suporte duradouro que contém informação". Sendo assim, o exemplo da conta de luz é um documento, de acordo com autor referido.

    b)É um documento de arquivo, pois segundo Gutiérrez Muñoz os documentos arquivísticos são tão somente " os que são produzidos ou reunidos por indivíduos ou por instituições em razão das funções e atividades que eles desempenham para conseguir determinados fins. Sendo assim,o referido documento pode ser reunido por indivíduos ou instituições em razão de suas atividades para um eventual caráter probatório. E vale ressaltar que o documento encontra-se na tabela do CONARQ.

    ResponderExcluir
  66. a1) A planta baixa de uma construção civil pode ser considerado um documento. De acordo com Mariano Ruipérez,apud Luiz Núñes Contreas o documento é a "representação ou reflexo escrito das relações políticas, jurídicas, sociais e administrativas estabelecidas entre os homens tanto em nível particular como em nível oficial". A planta baixa faz parte das relações administrativas pois a construção civil está sob responsabilidade de uma administração, seja ela pública ou privada.
    b1)A planta baixa é um documento arquivístico pois tem natureza comprobatória, refletindo ou mencionando os procedimentos utilizados em uma construção civil e comprovando as atividades dentro de uma instituição ou pessoal diante de entidades reguladoras e fiscais.

    ResponderExcluir
  67. A)O exemplo que o Jandeson citou, pode sim ser considerado documento para ambas as partes, digo quanto ao reclamante quanto a empresa, pois ambos podem usar este como prova de algo que possa ocorrer no futuro.

    B)Já o mesmo documento pode ser sim, considerado documento de arquivo, pois este é a documentação de um fato registrado, nele contem uma determinada data, hora, local e assunto e isso é um documento de arquivo, assim como Mariano Garcia Ruipérez afirma, documento é "toda comunicação escrita ou gravada";

    C)De acordo com Le Goff : " Não há história sem documentos", com esta precisão: " Há que tomar a palavra "documento" no sentido mais amplo, documento escrito, ilustrado,transmitido pelo som, a imagem, ou de qualquer outra maneira".
    Então não consigo encontrar nenhum outro autor que pense de modo diferente, além do mais, com o tipo de documento que o Janderson citou, é incrivelmente difícil achar algum ator que fale que não existe documento audiovisual.

    ResponderExcluir
  68. Sim, uma arma utilizada em um crime pode ser considerada um documento pois a impressão digital gravada na arma acarreta uma informação, a de que alguem usou aquela arma(prova). Também pode ser um documento de arquivo, pois pode possuir um valor simbólico, por exemplo a arma usada pelo assassino que matou John Lennon.

    ResponderExcluir
  69. Respondendo ao Bernardo:

    A2) Segundo o conceito de Schellenberg - que define o documento como “todo testemunho da atividade do homem fixado em um suporte e que contenha informação” – uma conta de restaurante pode ser considerada documento.

    B2) Pode ser considerado também um documento arquivístico, levando em conta a definição de A. Tanodi que diz que um documento arquivístico é “o suporte que contém um texto que é resultado de uma atividade administrativa de uma entidade, efetuada no cumprimento de seus objetivos e finalidades.”

    C2) Contrapondo a resposta do Ananda sobre o quadro, segundo a definição de Tanodi, o quadro não seria um documento arquivístico, pois não foi criado como resultado de uma atividade administrativa de uma entidade, e sim como uma manifestação artística individual.

    D2) como falei anteriormente, indico um post do blog http://diplomaticaetipologia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  70. A1) (Mona Lisa) Sim, pois segundo a Comunidad Autônoma de AutoLucia, documento é visto como toda a expressão da linguagem oral ou escrita, natural ou codificada, registrada em qualquer tipo de suporte, bem como qualquer outra expressão gráfica que constitua testemunho de funções e atividades sociais do homem e dos grupos humanos. Sendo assim, o quadro pode ser considerado uma expressão gráfica, registrada em suporte.


    B2) Considerando o quadro como sendo o original e não alguma cópia, o quadro da Monalisa, pode ser visto como um documento de arquivo. O autor, Mariano Garcia Rupérez cita, em seu texto “Tipologia. Séries Documentais. Quadros de Classificação. Questões Metodológicas e Práticas” , a “Ley Andaluza” diz que o Documento de Arquivo deve constituir “testemunho de funções e atividades sociais do homem e dos grupos humanos”. Como uma pintura é um testemunho de uma atividade social humana, o documento em questão, pode ser considerado documento de arquivo.


    C2) Explicitando o exemplo do Pedro, da Filmagem de um Grupo de amigos em uma viagem, segundo o autor C. Gutierrez Muñoz, os documentos de arquivo são somente aqueles que comprovam ou testemunham atividades legais ou judiciais de determinada instituição.

    ResponderExcluir
  71. a1)O receituário médico é considerado um documento importantíssimo na relação entre o médico e o paciente. Já que,a receita deve ser registrada pelo profissional no prontuário do paciente e se constitui dessa forma em documento de valor jurídico, sendo a prova material da consulta.
    b1) Sim, tal documento contém informações de testemuno com suporte já definido em lei e que serve de testemunho de prova. Além da receita servir como único documento testemunhal de um ato profissional.

    ResponderExcluir
  72. a1) O quadro de Monalisa pode ser considerado um documento pois A. Tamayo refere-se a documento como "qualquer coisa que nos dê notícia de algo que haja acontecido no passado próximo ou mais distante" ou seja "qualquer objeto representativo".
    b1)De acordo com a definição de Ley andaluza, o quadro de Monalisa não é considerado documento de arquivo pois é de natureza artística. Mas existem objetos que são incorporados aos arquivos como provas e nesses casos são chamados de "objetos de arquivo" e não de documentos de arquivo. Reforçando a idéia, Mariano Garcia define os documentos arquivísticos como aqueles escritos ou orais, o que não ocorre nesse caso.

    ResponderExcluir
  73. Referente ao exemplo indicado por LAIS - Quadro Monalisa, de Leonardo Da Vinci, ratifico que o mesmo pode ser considerado como documento; haja vista que podemos considerar como documento uma informação registrada independente de seu suporte.
    Sendo assim, documento é aquilo que é informativo, que de acordo com o texto de Mariano García(2007), fazendo referência ao Dicionário de uso del Español de M. Moliner: "documento é o testemunho escrito de épocas passadas que servem para reconstruir a história e o escrito que serve para justificar ou acreditar em algo(pág.14)." O quadro Monalisa, de Leonardo da Vinci traz em si informações sobre a cultura e aspectos sociais de uma época, sobre o estilo de arte do pintor, sobre o estilo renascentista no Séc.XVI, dentre outras coisas. O quadro serve de respaldo para estudo de artistas plásticos, psicologos e até pesquisadores da área de computação. Segundo GARCÍA(2007), um quadro, uma escultura ou um diploma podem ser considerados com documento(pág.15).
    De acordo com SCHELLENBERG, documento é o testemunho da atividade humana registrado em um suporte duradouro que contenha informação. Sendo assim, o quadro Monalisa é um documento.
    Contudo, o mesmo não pode ser considerado um documento de arquivo, pois se compreende que estes se referem à informação orgânica registrada, que segundo GARCÍA (2007) citando A. Heredia são aqueles documentos produzidos e recebidos por uma pessoa ou instituição no decurso de sua gestão ou atividade para realização de seus propósitos e preservados como prova e informação. Documento de arquivo visa a servir algum propósito imediato e, dependendo do valor que este vier a ter, à propósitos mediatos.
    O quadro de Da Vinci, é uma obra-prima, um objeto de valos inestimável para humanidade,mas de acordo com critérios arquivisticos, o mesmo é um objeto de museu, pois segundo LE GOFF(1984), é uma herança do passado.
    .... CONTINUA!!!

    ResponderExcluir
  74. Usei exemplo do Janderson Cardoso sobre o CallCenter

    A1) Uma ligação feita para um CallCenter para uma reclamação, feita a partir de um usuário dos serviços da empresa telefônica pode ser considerado um documento. De acordo com André Lopez, documento é definido como uma informação associada a um suporte material, neste caso, a gravação feita da voz do cliente.

    B1) Tal exemplo pode ser considerado um documento de arquivo, pois segundo André Lopez, documento de arquivo é uma prova administrativa de determinadas atividades, neste caso, mostra a insatisfação do cliente quanto aos serviços prestados pela empresa de telefonia. Levando em conta em que o CallCenter foi criado para receber ligações, as ligações recebidas e gravadas fazem parte de sua atividade e por isso devem ser consideradas documentos de arquivo.

    C1) Uma ligação recebida e gravada por um CallCenter não poderá ser considerada um documento de fato e nem um documento arquivistico, pois segundo Alberto Tamayo, “algo” somente poderá ser considerado como documento, se o mesmo materializar atos ou negócios que modifiquem ou extinguem uma determinada situação jurídica, e que sejam na forma escrita, ou seja, formando, segundo ele, um documento diplomático.

    ResponderExcluir
  75. A2) O diploma de conclusão do curso de Bacharel em Direito, pode ser considerado um documento sim, pela suas função e atribuição legal.
    B2) O diploma de conclusão do curso de Bacharel em Direito, pode ser considerado documento de arquivo, pois comprova atividade humana, a conclusão do curso um documento autêntico. “[os arquivos] são criados como verossímeis e confiáveis para quem os necessita para agir. São mantidos com garantias apropriadas para ação futura e para informação: [...] E são preservados por seus produtores ou sucessores como registro das atividade passada” Duranti - Lopez

    ResponderExcluir
  76. Respondendo Lucas

    A conta de Luz do STJ é um documento que adiquire outra função. "os documentos também pode modificar-se ao longo de sua existencia assumindo funções diferenciadas."
    A conta de luz no começo tinha apenas a função de informar o valor a ser pago e a quantidade gasta pela instituição, mas depois de paga o documento que possui o valor arquivistico é o comprovante de pagamento, ele sim comprova para o financeiro que houve o pagamento, e junto a esse comprovante pode ser anexada a conta de luz

    ResponderExcluir
  77. Respondendo a letra C:

    Entretanto segundo F. Fuster, o documento em si é todo e qualquer expressão testemunhal em qualquer língua, forma ou suporte (forma oral ou escrita, textual ou gráficamanuscrita ou impressa, em língua natural ou codificada em qualquer suporte documental assim como em qualquer outra expressão gráfica, sonora, em imagem ou eletrônica).

    ResponderExcluir
  78. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  79. C) vou contrapor a resposta do Felipe Júnio, pois ele afirmou que o quadro da Monalisa nasceu com valor primário. Conforme afirmam Rousseau e Couture, valor primário é a qualidade de um documento baseado na utilização imediata e administrativa, ou seja na razão pela qual ele foi criado. Ao meu ver a razão pela qual o quadro da Monalisa foi criado foi de ser um objeto de decoração, para ficar pendurado em alguma parede expondo a imagem que foi pintada, não houve uma razão administrativa.

    ResponderExcluir
  80. Respondendo do Bruno Souza.

    a1) Uma conta de luz paga pelo STJ é um documento, pois, segundo Lopez, "documento é definido como uma informação associada a um suporte".

    b1) O exemplo é ainda considerado um documento de arquivo, pois não é apenas "qualquer informação fixada em um suporte", uma vez que é "produto de uma vontade administrativa" (Lopez).

    Indico um exemplar da revista Veja.

    ResponderExcluir
  81. a) O cartaz de atenção para não fumar, não beber e não comer no laboratório da UnB pode ser considerado um documento se levada em conta a definição dada pelo Dicionario de Autoridades(Madrid, 1732) contida no texto do Ruiperez(2007), que apresenta documento como uma doutrina ou ensino com que se procura instruir alguém sobre qualquer assunto, e principalmente se toma como um aviso ou conselho para que não haja erros.

    b) Lopez afirma que um documento de arquivo deve ser uma prova administrativa de determinadas atividades, portanto o cartaz não deve ser considerado um documento de arquivo já que o mesmo não possui nenhum valor probatório.

    ResponderExcluir
  82. Janaina Galvão:

    a) Uma gravação de voz de um faxineiro falando sobre roubos na empresa que trabalha pode ser um documento, embasado na afirmação T. Schellenberg que define documento como todo testemunho de atividade do homem fixado em um suporte duradouro que contém informação.


    b) Para Manuel Romero Tallafigo, documento de arquivo é o documento que possui informação ou testemunho em qualquer suporte, formato e data por qualquer meio ou linguagem, que tenha sido recebido ou expedido no exercício das funções legais ou transações de negócios de uma instituição ou pessoa que o conserva para o testemunho,prova e continuidade da gestão. Assim, a gravação de voz do faxineiro sobre roubos na empresa, pode ser sim considerado um documento de arquivo,pois testemunha os fatos ocorridos dentro da instituição

    ResponderExcluir
  83. A letra C:

    Uma gravação de voz não pode ser considerada um documento de fato, pois para Alberto Tamayo só poderá ser documento quando materializar atos ou negócios que modifiquem ou extinguem uma determinada situação jurídica, e que sejam na forma escrita(documento diplomático).

    ResponderExcluir
  84. A2) A mensagem postada se apresenta como documento, pois segundo os Cientistas da Documentação, citados por M. Vázquez, “um documento pode ser definido como uma comunicação fixada, gravada, aderida a um suporte.” No documento supracitado, podemos perceber a informação de conclusão do curso de bacharel registrado em um suporte (papel, originalmente, depois ambiente virtual/digitalizado).

    B2) Pode também ser considerado como documento arquivístico, porque “é o testemunho material de um feito ou um ato realizado no exercícios de suas funções por pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, de acordo com umas características de tipo material e formal.” (Dicionário de Terminologia Arquivística, Ministério da Cultura Espanhol, tradução livre.

    Em ocasião oportuna responderei o restante.

    ResponderExcluir
  85. Vou responder sobre a indicação da Roberta:
    a2) O diploma de gradução em Direito pode ser considerado um documento, pois, conforme definição de Schellenberg apud Ruipérez (2007, p. 15), documento é o testemunho da atividade humana fixado em um suporte durável contendo informação.
    b2) O referido documento pode, também, ser considerado um documento de arquivo, tendo em vista que estes são todos os documentos produzidos ou recebidos por indivíduos ou instituições, em razão de suas funções ou atividades, conforme define Muñoz (apud Ruipérez, 2007, p.18).

    GARCÍA RUIPÉREZ, Mariano. “Tipología, series documentales. Cuadros de clasificación. Cuestiones metodológicas y prácticas. Las Palmas de Gran Canaria”, Anroart Ediciones, 2007, 118 p.

    ResponderExcluir
  86. A2) Uma passagem aérea pode sim ser considerada documento pois é ela que vai provar que você tem autorização para entrar no avião.

    B2)Pode ser considerada documento de arquivo desde que ela venha posteriormente dar prova de que houve o embarque ou a compra dessa passagem , pois segundo Lopez um documento de arquivo é uma informação relacionada a um suporte , e ainda mais específico ele é um resultado de uma vontade administrativa.O documento de arquivo é então um registro da atividade administrativa.

    ResponderExcluir
  87. A1) O documento apresentado no link acima pode ser considerado documento, pois o conceito de Dargente diz que é “todo conocimiento susceptible de ser utilizado como objeto de estúdio, o prueba de uma proposioción presentado sobre um suporte material de cualwuier natureza y forma”.

    B1) Pode sim ser considerado um documento de arquivo Ao analisarmos o conceito exposto por Gutiérrez Muñoz, documentos de arquivo são todos aqueles “que tenham sido produzidos ou reunidos por indivíduos ou por instituições em razão das funções e atividades que eles desempenham para conseguir determinados fins”. O diploma em questão foi produzido pelo Ministério da Educação em razão de uma das atividades que desempenha.

    C1) em breve

    D1) já coloquei em postagem anterior.

    ResponderExcluir
  88. Contra-argumentando a resposta da Lucélia sobre o troféu de campeonato:
    c1)Concordo que o troféu não poderia ser considerado um documento de arquivo, mas a algo semelhante como um "objeto de arquivo". Isso ocorre com alguns objetos que são incorporados aos arquivos como provas, de acordo com Mariano Garcia.

    ResponderExcluir
  89. Karla
    Contrapondo a resposta da Ananda (sobre o quadro da Monalisa), a cópia do quadro em questão também pode ser considerado um documento de arquivo, como afirma Luciana Duranti, o documento ele é único em seu contexto. Dessa forma, a cópia pode integrar um acervo escolar, por exemplo.

    ResponderExcluir
  90. O computador foi deligado, e perdi todo o meu trabalho, então postarei depois.

    ResponderExcluir
  91. Embora, de acordo com F.Fuster Ruiz(1999),documento de arquivo seja toda expressão testemunhal,em qualquer linguagem ou suporte, seja oral, escrita, gráfica,manuscrito, assim como qualquer expressão sonora; o quadro em si, não representa o aspecto orgânico-funcional do autor.
    CONTUNUAÇÃO ...
    Quanto a definição da Laís quanto ao exemplo do documento da NASA, o mesmo pode ser considerado como documento de arquivo, pois serve de testemunho/prova de uma atividade que foi desenvolvida em uma instituição, pois de acordo com o dicionario de terminologia arquivistica é uma informação orgânica registrada que representa as funções de uma instituição ou pessoa no exercicio de suas atividades.

    ResponderExcluir
  92. Mais um contra-argumento, Lucélia:
    De acordo com a definição do dicionário de terminologia arquivística, o troféu poderia ser inserido em um arquivo:
    arquivo - "Conjunto de documentos produzidos e acumulados por uma entidade coletiva, pública ou
    privada, pessoa ou família, no desempenho de suas atividades, independentemente da natureza
    do suporte."
    documento - "Unidade de registro de informações, qualquer que seja o suporte ou formato."

    ResponderExcluir
  93. Postarei a contra-argumentação depois.

    ResponderExcluir
  94. A) Segundo a definição de Dargente inferida do texto de Ruipérez que diz: " é todo o conhecimento sucetível de ser utilizado como objeto de estudo ou prova de uma acontecimento apresentado sobre um suporte material de qualque naturaza e forma" e tendo como fundamento o texto de André Lopez, que documento é "qualquer informação fixada em um suporte". Temos que a foto institucional por ter potencial de ser utilizada como objeto de estudo ou prova de um acontecimento e por este ter sido registrado em um suporte de qualquer natureza, então que esta foto institucional por preencher estes pré-requisitos é o que podemos camar de documento.

    B) Segundo a inferência feita no texto de Ruipérez do Dicionario de terminologia Archivística do Ministério da Cultura Espanhol que diz: "documento de arquivo é o testemunho material de um feito ou ato realizado no exercício de suas funções por pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, de acordo com uma característica de tipo material e formal".Então temos que a foto por remeter a um fato realizado (posse do presidente da instituição, ou inicio das atividades da entidade, por exemplo) e conter características material (suporte) e forma (ser original) é um documento um documento de arquivo.

    C) será respondido em breve

    D) incicado no meu post anterior.

    ResponderExcluir
  95. Quadro da Monalisa

    c3) No caso em questão o quadro é considerado um objeto de arquivo e não um documento arquivistico. Segundo Mariano Garcia Ruiperez, os restos arqueologicos,as obras artisticas e todos os objetos criados pelo homem são considerados objetos de arquivo.

    ResponderExcluir
  96. Arma do crime

    c1) O objeto não pode ser definido como um documento arquivístico, pois ele é o material que irá originar e constituir o laudo pericial sobre o crime. Desse modo, a arma é um objeto de arquivo segundo cita Mariano Ruipérez.

    ResponderExcluir
  97. Érika Martins:
    Referente ao exemplo indicado por LAIS - Quadro Monalisa, de Leonardo Da Vinci, ratifico que o mesmo pode ser considerado como documento; haja vista que podemos considerar como documento uma informação registrada independente de seu suporte.

    Sendo assim, documento é aquilo que é informativo, que, de acordo com o texto de Mariano García(2007), fazendo referência ao Dicionário de uso del Español de M. Moliner: "documento é o testemunho escrito de épocas passadas que servem para reconstruir a história e o escrito que serve para justificar ou acreditar em algo(pág.14)." O quadro Monalisa, de Leonardo da Vinci traz em si informações sobre a cultura e aspectos sociais de uma época, sobre o estilo de arte do pintor, sobre o estilo renascentista no Séc.XVI, dentre outras coisas. O quadro serve de respaldo para estudo de artistas plásticos, psicologos e até pesquisadores da área de computação. Segundo GARCÍA(2007), um quadro, uma escultura ou um diploma podem ser considerados com documento(pág.15).

    De acordo com SCHELLENBERG, documento é o testemunho da atividade humana registrado em um suporte duradouro que contenha informação. Sendo assim, o quadro Monalisa é um documento.

    Contudo, o mesmo não pode ser considerado um documento de arquivo, pois se compreende que estes se referem à informação orgânica registrada, que segundo GARCÍA (2007) citando A. Heredia são aqueles documentos produzidos e recebidos por uma pessoa ou instituição no decurso de sua gestão ou atividade para realização de seus propósitos e preservados como prova e informação. Documento de arquivo visa a servir algum propósito imediato e, dependendo do valor que este vier a ter, à propósitos mediatos.

    O quadro de Da Vinci, é uma obra-prima, um objeto de valor inestimável para humanidade, mas de acordo com critérios arquivisticos, o mesmo é um objeto de museu, pois segundo LE GOFF(1984), é uma herança do passado.

    Embora alguns estudiosos como FUSTER RUIZ(1999) defendam que documento de arquivo é toda e qualquer expressão de testemunho, seja qual for o suporte e a forma, quer seja oral, manuscrito, linguagem natural ou codificado, grafico ou sonoro; muitos estudiosos da área discordam desta conceituação.

    Em contra-partida, o exemplo de documento utilizado pela Lais, documento da Nasa, se enquadra no contexto de documentação arquivistica, porque segundo o Dicionario de Terminologia Arquivistica(2005), é um documento produzido por uma instituição no desempenho de suas atividades e que serve de testemunho.

    ResponderExcluir
  98. Contraponho a afirmação da Lucélia, a respeito de o troféu não poder ser considerado um documento de arquivo.

    c) O Troféu poderá ser considerado um documento de arquivo. Um documento tridimensional, assim como afirmado no Manual para elaboração e normalização de dissertações, de 2004, proveniente da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
    Documento tridimensional inclui esculturas, maquetes, objetos e suas representações.

    ResponderExcluir
  99. A1) Sim, pode ser considerado um documento, pois como é citado por T. Shellenberg que define documento como: “todo testemunho da atividade do homem fixado em um suporte duradouro que contém informação”.

    B1) É um documento arquivístico de acordo com J.J Real Diaz que define documento arquivistico como: “qualquer coisa escrita de caráter legal, histórico e administrativo que se conserva nos arquivos ” Tendo em vista que esse documento tem como objetivo informação e prova.

    C1) Luiz Nunez Contreras restringe a documentos apenas aqueles que são a representação ou reflexo escrito das relações políticas, jurídicas, sociais e administrativas estabelecidas entre os homens tanto em nível particular como em nível oficial.

    F. Fuster Ruiz que define documento arquivístico como: “ toda expresión testimonial en cualquier lenguaje, forma o soporte, generalmente em ejemplar único ( aunque puede ser multicopiado o difundido em imprenta), de carácter auténtico objetico e imparcial, esencialemente administrativo y/o juridico, generado em cualquier fecha, de forma automática y espontánea, conservado íntegro en forma original, indivisible, seriado o unido a outros de su especie po un vínculo originario y ncesario, interdependiente o interrelacionado, y formado parte deun fondo o conjunto orgánico, producido, recebido y acumulado, como resultado del proceso natural de la actividade o gestíon de una persona o entidad pública o privada, en cumplimiento de sus funciones o fines juridicos y o administrativos y conservados como prueba, información y continuidade de gestión.” De acordo com essa definição o documento da NASA não pode ser considerado documento de arquivo, por não ter finalidade em atividade administrativa, legal ou jurídica da instituição e não ser parte de um trâmite.

    ResponderExcluir
  100. de erika martins erika.canaa@hotmail.com
    para apalopez@gmail.com
    data 2 de setembro de 2011 23:24
    assunto Post da atividade de diplomatica

    Postei novamente a atividade de hoje, mas por medida de segurança, envio abaixo o comentário postado.



    Referente ao exemplo indicado por LAIS - Quadro Monalisa, de Leonardo Da Vinci, ratifico que o mesmo pode ser considerado como documento; haja vista que podemos considerar como documento uma informação registrada independente de seu suporte.

    Sendo assim, documento é aquilo que é informativo, que, de acordo com o texto de Mariano García(2007), fazendo referência ao Dicionário de uso del Español de M. Moliner: "documento é o testemunho escrito de épocas passadas que servem para reconstruir a história e o escrito que serve para justificar ou acreditar em algo(pág.14)." O quadro Monalisa, de Leonardo da Vinci traz em si informações sobre a cultura e aspectos sociais de uma época, sobre o estilo de arte do pintor, sobre o estilo renascentista no Séc.XVI, dentre outras coisas. O quadro serve de respaldo para estudo de artistas plásticos, psicologos e até pesquisadores da área de computação. Segundo GARCÍA(2007), um quadro, uma escultura ou um diploma podem ser considerados com documento(pág.15).

    De acordo com SCHELLENBERG, documento é o testemunho da atividade humana registrado em um suporte duradouro que contenha informação. Sendo assim, o quadro Monalisa é um documento.

    Contudo, o mesmo não pode ser considerado um documento de arquivo, pois se compreende que estes se referem à informação orgânica registrada, que segundo GARCÍA (2007) citando A. Heredia são aqueles documentos produzidos e recebidos por uma pessoa ou instituição no decurso de sua gestão ou atividade para realização de seus propósitos e preservados como prova e informação. Documento de arquivo visa a servir algum propósito imediato e, dependendo do valor que este vier a ter, à propósitos mediatos.

    O quadro de Da Vinci, é uma obra-prima, um objeto de valor inestimável para humanidade, mas de acordo com critérios arquivisticos, o mesmo é um objeto de museu, pois segundo LE GOFF(1984), é uma herança do passado.

    Embora alguns estudiosos como FUSTER RUIZ(1999) defendam que documento de arquivo é toda e qualquer expressão de testemunho, seja qual for o suporte e a forma, quer seja oral, manuscrito, linguagem natural ou codificado, grafico ou sonoro; muitos estudiosos da área discordam desta conceituação.

    Em contra-partida, o exemplo de documento utilizado pela Lais, documento da Nasa, se enquadra no contexto de documentação arquivistica, porque segundo o Dicionario de Terminologia Arquivistica(2005), é um documento produzido por uma instituição no desempenho de suas atividades e que serve de testemunho.

    ResponderExcluir
  101. Não discordando do colega, o documento que certifica a autenticidade da insígnia mundial dos escoteiros não pode ser considerada um documento de arquivo, pois não é um documento oficial da NASA, apesar de ter sido produzido por um oficial em papel timbrado, e, segundo Marilena Leite Paes, o documento “é gerado para atender objetivos funcionais, é gerado em número limitado, é orgânico, tem caráter comprobatório e/ou testemunhal...” e este não se encaixa no quesito funcional, no entanto possui grande valor para um colecionador.

    ResponderExcluir
  102. Organizando a resposta:

    A1) Mesmo que a sugestão o colega comunista Janderson fuja do convencional, a gravação de uma reclamação de um call center pode ser considerado um documento. Afinal de contas é um registro (eletrônico suporte), nele há um indivíduo que efetuou a reclamação: seja de um produto, seja de um serviço prestado. Na reclamação registrada ocorre em determinada data específica e se refere a um determinado assunto.
    Posteriormente, a tal reclamação pode servir de fundamentação para um estudo mais elaborado. Ou simpesmente, servir de instrumento para um PROCON regional registrar as principais reclamações daquela cidade. Por meio das reclamações o PROCON conseguirá ver quais serviços ou produtos possuem maior credibilidade, ou têm a sua "fama" suja.

    B2) De acordo com a proposição de LOPEZ in: "História e Arquivo: Interfaces" o documento em questão pode ser considerado um documento de arquivo - "os arquivos contemporâneos caracterizam-se pelo grande volume de documentos e pela coexistência de diversos suportes de informação. Ao lado do suporte tradicional, o papel, surgem filmes, fitas magnéticas, discos óticos etc. Do mesmo Modo, novos tipos documentais passam a ser agregados aos arquivos, ampliando o conceito de documento." André Porto Ancona Lopez(2005).

    C1)Uma conceituação ultrapassada, e não antiga, é apresentada no "Dicionário de uso Español", de M Moliner que vai de contraponto aos autores discutidos em sala de aula, ao afirmar que documento é "o testemunho escrito de épocas passadas que serve para reconstrução da sua história". Esta interpretação está de acordo com o viés Positivista, do século XIX, onde os documentos eram os verdadeiros testemunhos do passado e eram originalmente produzidos nos órgãos dos Estados.
    A Partir da interpretação da Nova História ou Escola Dos Anais criada na França, por George Duby e Jaques Le Goff. Documento é todo e qualquer tipo de registro, que tragam informações do passado. A Escola Francesa fundamenta que todo registro possui intencionalidade ao ser produzido e armazenado.
    Hoje, os documentos são muito mais em meios "alternativos" do que em papeis. Documento pode ser desde uma música, até o material genético de uma determinada população.
    O curso de História da Universidade de Brasília também dá esta mesma argumentação abrangente de documento.

    D1) como sugestão de documento é uma conta de restaurante:
    http://farm5.static.flickr.com/4015/4304514227_c960fdf33a.jpg
    De acordo com as fundamentações da diplomática, podem ser considerado documento?

    ResponderExcluir
  103. Para cumprir a tabela eu indico o catálogo “O escravo no RS”. A coletânea apresenta 200 mil documentos jurídicos, registrais, notariais e até pessoais relacionados com a escravidão no Rio Grande do Sul. Link: http://www.defender.org.br/catalogo-registra-escravidao-no-rs/

    ResponderExcluir
  104. Respondendo à Karla o documento pode ser considerado sim um documento de arquivo, até mesmo porque o contexto do documento não foi especificado as possibilidades são infinitas.
    Mas baseando-se apenas na imagem do link:
    http://www.seculodiario.com/userfiles/image/07062011_cheque_gratz_001.jpg
    pode-se comentar algumas coisas:

    * é uma cópia;
    * é documento pois de acordo com TR Schelemberg documento é todo testemunho da atividade do homem fixado em um suporte perdurado pelo tempo contendo informação; e
    * e pode ser documento arquivístico pois conforme H. Leberalli Bellotto é o documento que contém um texto que é o resultado de uma atividade administrativa de uma entidade, efetuada em cumprimento de seus objetivos e finalidades.

    ResponderExcluir
  105. Reunindo todas as respostas...

    Vou responder o da Rachel - troféu de campeonato e indico uma conta de luz
    a) Um troféu de campeonato pode ser considerado um documento. De acordo com o texto do professor André Lopez documento é uma informação associada a um suporte, podendo ser até mesmo objetos banais. A informação associada ao troféu é que houve uma competição e que a pessoa que ganhou o troféu venceu esta competição, e o suporte dessa informação é o próprio troféu.
    b) Por outro lado o troféu não pode ser considerado um documento de arquivo, pois segundo o texto do Mariano Garcia o documento para ser considerado arquivístico deve estar em linguagem oral ou escrita, o que não acontece com o troféu.
    C) vou contrapor a resposta do Felipe Júnio, pois ele afirmou que o quadro da Monalisa nasceu com valor primário. Conforme afirmam Rousseau e Couture, valor primário é a qualidade de um documento baseado na utilização imediata e administrativa, ou seja na razão pela qual ele foi criado. Ao meu ver a razão pela qual o quadro da Monalisa foi criado foi de ser um objeto de decoração, para ficar pendurado em alguma parede expondo a imagem que foi pintada, não houve uma razão administrativa.

    ResponderExcluir
  106. Respondendo o post do colega Arthur (de 02/09/2011):
    O contracheque indicado (http://webdesign.cirinowifi.com/extimages/p_ContraCheque.jpg) constitui tanto um documento quanto um documento de arquivo, inclusive porque conta com uma formatação específica (forma / tipo), identificação do emitente e do destinatário do documento, o registro de um evento (pagamento de salário), datas (emissão e pagamento) e organicidade (vinculação a uma atividade organizacional).

    ResponderExcluir
  107. Luiz Fernando Alves da Silva9 de set de 2011 13:41:00

    Vou responder o da Lucélia que indicou uma conta de luz.

    a2) Uma conta de luz é considera documento, pois segundo André Lopez documento é qualquer informação registrada em um suporte.

    b2) Este documento é considerado um documento de arquivo por demonstrar características administrativas manifestando valores de prova para uma ação financeira, e tomando como base o texto de Ruipérez do Dicionario de terminologia Archivística do Ministério da Cultura Espanhol que diz: "documento de arquivo é o testemunho material de um feito ou ato realizado no exercício de suas funções por pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, de acordo com uma característica de tipo material e formal".

    c2) Vou contrapor ao que Felipe Junior disse, em relação ao quadro Monaliza ter valor primário. O valor primário é formado pelos valores administrativos, fiscais e legais. Segundo o dicionário de terminologia arquivística, valor administrativo é a qualidade pela qual um documento serve ao desempenho das atividades-fim e das atividades-meio de uma instituição. O qual não cabe enquadrar a criação do quadro Monaliza a estes parâmetros.
    d2) Vou indicar um formulário de trancamento de curso.

    ResponderExcluir
  108. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  109. Complentadondo o exercício:

    Fiz sobre o diploma de Direito sugerido pela Cíntia.

    A1) O documento apresentado no link acima pode ser considerado documento, pois o conceito de Dargente diz que é “todo conocimiento susceptible de ser utilizado como objeto de estúdio, o prueba de uma proposioción presentado sobre um suporte material de cualwuier natureza y forma”.

    B1) Pode sim ser considerado um documento de arquivo Ao analisarmos o conceito exposto por Gutiérrez Muñoz, documentos de arquivo são todos aqueles “que tenham sido produzidos ou reunidos por indivíduos ou por instituições em razão das funções e atividades que eles desempenham para conseguir determinados fins”. O diploma em questão foi produzido pelo Ministério da Educação em razão de uma das atividades que desempenha.

    C1) Falando sobre o documento que o Junim (em 02/09/2011) falou no post anterior ao meu, acho que a passagem aérea pode ser considerada um documento de arquivo mesmo que ela não seja usada para provar a viagem realizada. Ela poderia ser utilizada como arquvo pessoal, arquivando todas as passagens e todos os destinos que visita. Portanto, discordo da condição que ele colocou para que ela venha a ser documento de arquivo.

    D1) já coloquei em postagem anterior.

    ResponderExcluir
  110. Respondendo a última questão (usando o texto da Paula Póvoa):
    Considerando Guitiérrez Munoz documentos são aqueles produzidos por indíviduos ou instituições em razão de suas funções, considerando que não se trata de uma atividade própria dos escoteiros, tal texto não seria documento.

    ResponderExcluir
  111. Contra-argumentando a resposta do Rudney sobre o diploma de graduação em Direito disponível em: http://www.prr5.mpf.gov.br/prr5/conteudo/espaco/pj/documentos/diploma-frente.jpg . Indico uma nota técnica.

    O Diploma também respeita os princípios da arquivística.
    "vindo a ser, individualmente, um suporte modificado por um texto (a informação) que lhe foi aderido e que foi produzido/recebido por uma entidade ou indivíduo em relação a uma atividade, e que se emprega para dispor, obrigar, conceder direitos, comunicar, provar, informar ou testemunhar." BELLOTO,Heloísa L.;"Como fazer análise diplomática e análise tipológica de documento de arquivo".São Paulo, 2002, 24 p. (apud. VÁZQUEZ, 1988)

    ResponderExcluir
  112. Grupo Museu de Grandes Novidades
    Integrantes- Daniella Larcher, Renan Viana, Felipe Junio

    O documento (selo da nasa afixado a um papel, com assinatura e declaração veracidade do astronauta neil armstrong) é um documento, visto que contém informação registrada e escrita.
    O documento é documento de arquivo por ter valor secundário/historico uma vez que é o simbolo fez viagem à lua.

    indico para análise um guarda-chuva.

    ResponderExcluir
  113. Componentes: André, Isabella, Juliana e Maurício

    O link proposto pela Roberta Xavier é um documento já que é um diploma produzido por uma instituição púublica que comprova uma certificação em graduação de direito. o documento que propomos é o edital do concurso da caixa economica de 2012.

    http://www.cespe.unb.br/concursos/STJ2012/arquivos/ED_N_1_ABERTURA_STJ_2012_ABERTURA_FINAL.PDF

    ResponderExcluir
  114. a1) Sim, pois foi produzido por um integrante da NASA, certificando a situação do badge. Possui elementos de autenticidade, papel timbrado, assinatura.

    b1)Sim, pois certifica uma situação de autenticidade.

    c1)Não pode ser considerado um documento de arquivo pois não se sabe se neil armstrong tinha competência administrativa para certificar tal ato.

    d1)http://www.documentoseletronicos.arquivonacional.gov.br/Media/publicacoes/gt_gestao_arquivistica__pagina_web_corrigido3.pdf

    ResponderExcluir
  115. LARA - ARQUIVOMANIA23 de mar de 2012 20:19:00

    a1) responder se o exemplo que ilustra esse post pode ser considerado um documento?
    Resposta: SIM


    b1) responder se esse exemplo pode ser considerado um documento de arquivo? (nesse caso precisa indicar sob quais condições)
    OBS: As respostas "a" e "b" devem estar fundamentadas em pelo menos um argumento de alguns dos textos mencionados.
    R.: Pode, dependendo da instituição mantedora.


    c1) contra-argumentar as próprias respostas "a" e "b" com base em algum outro texto, diferente dos mencionados neste post.
    R.: Poderia não ser um documento de arquivo se ele estivesse armazenado em uma instituição que não o criou ou que não fizesse uso das informações neles contidas.
    Texto: http://repositorio.bce.unb.br/bitstream/10482/1439/1/CAPITULO_PrincipiosArquivisticosConceitoClassifica%C3%A7%C3%A3o.pdf


    d1) propor um novo exemplo de documento para o aluno seguinte
    http://www.idealgratis.com/curso/wp-content/certificado-en.jpg

    ResponderExcluir
  116. Grupo 3
    2)O exemplo que a Lara deu foi o certificado, e pode sim ser considerado um documento.
    b)Sim, pode ser considerado um documento de arquivo pessoal, para comprovar que certa pessoa por exemplo se graduou.
    c)De acordo com o principio da proveniencia exemplificado pela Lara o documento representa um documento de arquivo.
    d)Passaporte

    ResponderExcluir
  117. Edital de Concurso é considerado um documento, pois um contém todas as características e requisitos para a aprovação de um concurso público, inclusive o emissot, formatação e sinais de validação. Será parte de um arquivo caso seja armazenado no arquivo físico do órgão criador e emissor de tal edital.

    Kaio, Kelen, Denise e Murilo. - Daidos por estágio.

    Propomos um selo de garantia para conserto de um computador pessoal recém comprado.

    ResponderExcluir
  118. O selo de garantia é um documento porque ele pode ser um selo orgânico e tem caráter comprobatório e legal. Ele atesta ao consumidor que aquele produto não terá problemas e se acontecer, haverá resarcimento.

    Nathaly, Serenna, Mauro e Mariana.

    Título de Eleitor é o documento proposto.

    ResponderExcluir
  119. Grupo Pós Diplomática.
    Dyenison, Blener, Luiza e Victor.
    Respostas:
    1.a) Um selo de garantia para conserto de um computador pessoal, pode ser considerado um documento de arquivo.
    1.b) POis tem instrumentos de comprovação, o que torna um selo um documento de arquivo.
    1.b1. Po de ser um documento de arquivo porque comprova uma atividade realizada e garante um direito.

    Documento proposto: certificado de conclusão de curso.

    ResponderExcluir
  120. Grupo 2 - DTDEX
    1) Sim.Por ter sido afirmado pelo órgao competente.
    2) Sim.
    3) Sim. É um documento de arquivo, porque ele prova que o computador possui uma garantia.

    Sugerimos como documento uma nota fiscal de uma compra no mercado.

    ResponderExcluir
  121. Grupo: Biblioteca arquivistica
    1) sim: por ter a autenticação do orgão emissor.
    2)Sim, é um documento de arquivo, por ter um valor de prova.

    Sugerimos como documento um recibo de compra no cartão de crédito.

    ResponderExcluir
  122. Analisando o grupo DTEX

    A1)SIM
    b1)SIM. Para quem ela é emitida como valor comprobatório de uma compra
    c1)Não. Onde está o documento para ser analisado?
    d1) Propomos este documento: http://www.documentoseletronicos.arquivonacional.gov.br/Media/publicacoes/gt_gestao_arquivistica__pagina_web_corrigido3.pdf

    ResponderExcluir

clique para comentar