20 dezembro 2010

Atividade de férias.




A partir da análise profunda do documento arquivístico objetiva-se detalhar sua proveniência, seu contexto de criação e tramitação, além de definir diretrizes para sua classificação, avaliação, descrição e conservação mais adequadas. No trabalho de Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos, que “(...) investiga a possibilidade de se proceder à organização arquivística dos documentos referentes à gravação e à cobertura jornalística das sessões legislativas do Senado Federal, feitas pela TV Senado (...)”, a análise tipológica apresentada foi baseada na proposta de Luciana Duranti.

A atividade da vez consiste em:

- Realizar a leitura da dissertação de Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos (aqui);
- Explicar (através de comentário no blog-mãe) como a autora da dissertação utilizou/aplicou a proposta de Luciana Duranti em seu trabalho;


Prazo: às 18:59 do dia 14 de janeiro de 2011.
Atividade obrigatória.
Comentário com, no mínimo, 10 linhas.



Adrielly

38 comentários:

  1. A autora da dissertação usou os elementos que Duranti identifica para a estruturação do documento de arquivo.
    Ela usa a análise tipológica como base para seu estudo e apresenta as definições de autenticidade, imparcialidade, naturalidade, inter-relacionamento e unicidade como característica do documento de arquivo (como propõe Luciana Duranti)
    A autora usa Luciana Duranti como referência de todo o seu estudo, alguns pontos a serem destacados além dos já citados são: na definição da Tipologia e Diplomática; na questão da diplomática geral e especial; na comparação entre Diplomática, Diplomática Contemporânea e Tipologia Documental; dentre outros.

    ResponderExcluir
  2. A autora utilizou a base teórica de Luciana Durant para entender a diplomática nos documentos contemporâneos, para elencar os elementos que fazem parte do documento.
    Outra contribuição é a base teórica para poder montar uma critica ao trabalho realizado no Senado Federal.

    ResponderExcluir
  3. Não é pelo fato de as tarefas estarem em suporte digital, e, portanto, ocuparem menos espaço físico, que os textos dos alunos devem ser menores. Daqui a pouco vou receber coments apenas com 1-0, sob a alegação que tudo, em termos digitais, se resume a zeros e uns.

    ResponderExcluir
  4. Rosa Maria, em sua dissertação, baseou-se nos estudos de Luciana Duranti para tornar possível o estudo dos documentos por partes. Desse modo, a partir dos elementos que compõem a estrutura dos documentos,ela analisa os aspectos internos e externos, identificando produtor do documento, seu contexto de criação e trâmite. Isso permitiu que a autora pudesse determinar o processo que gerou o documento e a atividade desempenhada por ele. A partir daí ela pôde estabelecer as séries e determinar a classificação.

    ResponderExcluir
  5. Para aqueles que não entenderam a última linha da postagem da Adrielly, recomendo, fortemente, que assistam o tutorial explicativo clicando aqui.

    ResponderExcluir
  6. Continuando...rs

    A pesquisa ainda destaca a característica de inter-relacionamento dos registros documentais. Esse conceito apresentado por Duranti alega que os documentos estão ligados entre si desde o momento em que são produzidos e recebidos. Tal fator determinará características importantes ao documento, como a própria razão de sua existência, sua confiabilidade, significado e autenticidade.

    ResponderExcluir
  7. Para aqueles que por ventura não tenham entendido a continuação ou não tenham paciência de esperar cerca de 15 minutos para que se corrija uma falha recomendo a leitua abaixo:

    8 linhas + 6 linhas = 14 linhas ;)

    obrigado.

    ResponderExcluir
  8. O modelo de análise tipológica proposto por Duranti foi apenas um dos elementos utilizados pela Rosa para construir o seu instrumento de análise.

    Por trás do trabalho da Rosa estão também as experiências do Grupo de Arquivistas Municipais de Madrid, do Prof. André e também da Profa. Bellotto, além da Nobrade, e de uma proposta de metadados da International Federation Archive Television desenvolvida por um tal Annemieke de Jong.

    Munida desse arsenal teórico, a autora decompôs o documento arquivístico "registros videográficos masteres das sessões plenárias do
    Senado Federal." em 25, digamos, facetas, elementos de análise, a saber:

    1 -denominação
    2 – espécie documental
    3 - definição
    4 - função
    5 – produtor
    6 - emissor
    7 – destinatário
    8 – título
    9 -contribuintes (quem concorre para a produção do documento)
    10 – características externas (gênero, suporte, formato, forma, sinal de validação)
    11 – classificação (discussão sobre Fundo, grupo, série e subséries; e também uma interessante defesa sobre uma possível classificação das funções da TV-SENADO como de atividade-fim)
    12 – ordenação da série
    13 – localização
    14 – Data
    15 – Idioma
    16 – Legislação e Normas (tudo que regula como e porque os registros videográficos devem ser produzidos no âmbito do senado)
    17 – trâmite ( pra mim uma das partes mais interessantes da análise, incluídos os esclarecedores fluxogramas. Não tem como trabalhar arquivos sem entender de trâmite!!!!!!)
    18 – conteúdo obrigatório (tudo que não pode faltar no registro em sua forma manifestada)
    19 – vigência (aqui faz uma análise do potencial valor secundário dos registros)
    20 – acesso
    21 – documentação relacionada à série
    22 - conservação
    23 – anotações: etiquetas de registros e relatórios
    24 – contexto institucionais (explora a história da TV senado e, por tabela, também a do acervo videográfico)
    25 – descrição

    Ao fim da análise tipológica a Rosa Maria ainda apresenta um glossário e uma parte mais prática com recomendações para realizar a descrição desses registros, que com certeza fez a alegria do povo da TV-SENADO, porque ficou boa!

    ResponderExcluir
  9. Matheus Henrique Almeida Souza7 de jan de 2011 09:34:00

    A autora Rosa Maria utiliza os conceitos propostos por Luciana Duranti para embasar sua tese, principalmente no que se refere à Diplomática e à Diplomática Contemporânea.A última, podemos dizer que é o uso da Diplomática aliado à Arquivística, por meio da Organicidade e da própria Tipologia. Rosa Maria enfatiza na sua obra as sessões deliberativas, as não deliberativas e as especiais. Todas elas têm com resultado a geração de diversos documentos. É aí que entra a tese da autora “Registros Videográficos feitos pela TV Senado” que utiliza a Autenticidade, Inter-Relacionamento, Naturalidade e Unicidade propostos por Duranti para Classificação da documentação jornalística da TV Senado.

    ResponderExcluir
  10. A autora utiliza a proposta de Luciana Duranti, de aplicar a Diplomática aos documentos contemporâneos (o que permite conhecer o contexto do documento), para realizar a análise tipológica em seu trabalho.
    Os conceitos de Duranti são citados durante todo o trabalho. Como, por exemplo: a análise do trâmite do documento; o conceito de Diplomática Especial, que é a crítica do documento.
    E, assim como proposto por Duranti, a autora analisa as partes do documento (suas características internas e externas) e os elementos que compõem a estrutura do documento (tendo como base Duranti e Tognoli).
    Por meio da identificação desses elementos, pode-se averiguar a função e a autenticidade dos documentos.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. A autora Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos embasa a sua tese com os conceitos propostos por Luciana Durantti. Pode-se dizer que a autora se utiliza da Diplomática Especial em seu estudo, já que aplica conceitos gerais da diplomática (Diplomática Geral) em um caso concreto. Partindo de seu contexto específico (“Registros Videográficos feitos pela TV Senado”) a autora utiliza a análise tipológica e diplomática do documento, a partir de conceitos como Naturalidade, Unicidade e Inter-relacionamento, a fim de se verificar a autenticidade dos documentos e entender o processo de criação dos mesmos.

    ResponderExcluir
  13. Os fundamentos da Diplomática Contemporânea foram empregados na dissertação de Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos utilizando-se a proposta de Luciana Duranti.
    Rosa Maria definiu documento, segundo o posicionamento de Duranti, como aquele que produz conseqüências; sendo ele o resultado de um fato, de uma vontade e de um propósito, gerando um ato. Foi aplicado também o conceito e os fundamentos da autenticidade dos documentos arquivísticos, segundo Duranti.
    Rosa Maria propôs uma estrutura ideal de procedimento integrado de acordo com a proposta de Duranti - que para ser um documento que produz conseqüências, ele deve passar por dois momentos cronologicamente distintos ou não, na fase de criação: o “momento da ação” e o “momento da documentação”, sendo que o momento da ação precede ao momento da documentação. Rosa Maria se utiliza da idéia de fato e ato, pois para Duranti, existem métodos que podem ser adotados para comparar os fatos com os documentos, levando em consideração a organicidade. O primeiro é aferir se o redator do documento é confiável; o segundo é comparar ou avaliar o documento em relação à sua completude e à lógica de criação (análise diplomática).
    A autora da dissertação se baseou nas proposições de Duranti pra estruturar e identificar os elementos (externos e internos) que compõem o documento com o objetivo de fazer a:
    “(...) correspondência de cada componente da forma documental com os componentes específicos da transação administrativa e também as variadas combinações destes componentes com determinados tipos de transação. Seu objetivo final era adquirir habilidade para ver a função dos documentos, por meio de sua forma, para conhecer as funções que haviam cumprido cada criador de documento e, por meio disto, obter o conhecimento necessário para verificar a autenticidade do documento, que havia sido criado por uma pessoa jurídica enquanto cumpria uma função específica” (DURANTI, 1996, p. 131).
    Rosa Maria utilizou o conceito de Duranti sobre a forma (complexo de regras de representação usadas para transmitir uma mensagem) para a delimitação da transação (trâmite) e dos procedimentos por qual o documento passa, por meio da investigação e do exame dos procedimentos de criação documental. Os documentos deveriam ser mapeados, de acordo com as funções e atividades de seus criadores e o pesquisador. A autora da dissertação ainda se fundamenta na proposição de Duranti, de que as transações seriam efetivadas por meio do documento. Dessa forma, os documentos seriam transações registradas e o que distinguiria qualquer outro fato da transação o ato da vontade. Segundo Duranti, o documento perfeito é um documento capaz de produzir as conseqüências que buscava o seu autor, ou seja, capaz alcançar os objetivos para os quais foram produzidos e transportar informação útil para ser usada numa transação.

    ResponderExcluir
  14. A autora Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos propõe em sua tese, algo que se assemelha ao que foi também proposto por Luciana Durantti. Vimos que em sua tese, ela utiliza diversos conceitos(diplomática geral, diplomática especial, diplomática contemporâne), além de citar a definição de conceitos básicos como tipologia documental e a relação dessa tipologia com a diplomática. Com isso, a autora tentou buscar nesses conceitos e análises, o entendimento do processo que gerou a criação de tais documentos e verificar também a autenticidade e função dos referidos documentos oriundos de seu contexto específico("Registros Videográficos feitos pela TV Senado").

    ResponderExcluir
  15. Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos analisa tipologicamente os aspectos internos e externos dos registros das sessões plenárias do Senado Federal, embasando seu trabalho na teoria de Duranti, para isso utiliza as definições propostas por Duranti, inclusive para fazer o relacionamento entre Diplomática Contemporânea e a Tipologia Documental e outros conceitos vitais para a diplomática. A autora alia a teoria à prática. Mapeia o trâmite dos registros e outros dados importantes como produtor, qual documento foi criado se precisa ser preservado e ainda faz comparações entre a teoria de vários teóricos, como por exemplo, no quadro Comparativo entre Diplomática, Diplomática Contemporânea e Tipologia Documental.

    Fernanda Cândido 09/94286

    ResponderExcluir
  16. Em sua tese Rosa Maria contempla o estudo das características extrínsecas e intrínsecas dos documentos, inseridos em seu contexto de produção. Utilizando desses princípios em sua tese, foi possível estudar o documento em partes e isso permitiu o mapeamento do fluxo da informação antes e depois do documento ser produzido.
    Rosa Maria identifica na sua tese o vínculo existente entre o documento e os procedimentos que o gerou, e com isso é possível visualizar os documentos que derivam do mesmo procedimento, e aqueles que derivam da mesma atividade ou estão mais diretamente relacionados à atividade geradora.
    È feita uma análise profunda do documento, com o objetivo de detalhar sua proveniência, o contexto de criação (incluindo a tramitação), bem como definir diretrizes para sua classificação, avaliação, descrição e uma conservação mais adequada.

    Mariana Rocha 10/02023

    ResponderExcluir
  17. Rosa Maria baseia sua tese na análise tipológica proposta por Luciana Duranti, aplicando a Diplomática aos documentos contemporâneos. Esta análise visa detalhar a proveniência do documento, seu contexto de criação (incluindo a tramitação), assim como definir caminhos para a classificação, avaliação, descrição e conservação. Ela faz um mapeamento dos documentos de acordo com as funções e atividades de seus criadores. Com os princípios estabelecidos pela Diplomática, Rosa estudou os documentos em partes, avaliando suas características internas e externas. Com o contexto de criação foi possivel entender o processo que gerou o documento e a atividade que foi efetivada por ele. A autora ainda utiliza os conceitos propostos por Luciana Duranti que são importantes para a Diplomática.

    ResponderExcluir
  18. O estudo de Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos tem por base a análise tipológica. Essa análise, de acordo com a autora, permite aprofundar o entendimento de um documento de arquivo. Ela se utiliza de vários conceitos da diplomática contemporânea de Luciana Duranti. Rosa Vasconcelos diz, baseada em Duranti, que o entendimento dos processos administrativos é a chave para a compreensão dos sistemas informacionais. Ela relata que para atingir tal objetivo é necessário que se faça uma investigação e exame de procedimentos de criação documental. Deve ser estudada a gênese documental, de acordo com as funções e atividades de seus criadores. Segundo Vasconcelos, é preciso buscar o entendimento dos documentos resultantes de cada ação e da ação em si mesma.

    Esse arcabouço teórico é aplicado aos registros das sessões plenárias da TV Senado, é ressaltado por Rosa a necessidade de se conhecer os trâmites completos pelos quais passam os documentos em vídeo e que nem sempre vai acontecer a correlação adequada entre os elementos encontrados em documentos textuais com os documentos audiovisuais. A autora diz, de acordo com o que é colocado por Luciana Duranti e sua diplomática proposta aos documentos contemporâneos, que “no detalhamento do trâmite dos vídeos analógicos das sessões plenárias pode-se perceber como os documentos são produzidos e divisar o lugar da produção documental no qual estão inseridos”.

    ResponderExcluir
  19. A autora analisa o tempo todo, o seu objeto de estudo, de acordo com os conceitos proposto por Luciana Duranti buscando um melhor entendimento da diplomática e uma definição mais aprofundada do elemento a ser estudado, como por exemplo, suas características internas e externas , ou seja, a análise vai desde a sua aparência até sua articulação intelectual.
    Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos relaciona a diplomática com a tipologia documental estudando os documentos em partes e de forma bem detalhada adotando para sua pesquisa e estudo dos documentos da TV senado, as anotações, que é vista por Duranti (1996, p 123) como um elemento que demonstra claramente o processo de formação do documento, como ele participa da transação ou do procedimento, e conta sobre a historia de sua custódia [...].E com isso a autora vai utilizando em sua análise os diversos tipos de anotações, que devem compor um documento desde seu inicio, para um melhor resultado de sua pesquisa.

    ResponderExcluir
  20. Rosa Maria Vasconcelos embasou seu trabalho na análise tipológica proposta por Luciana Duranti, de aplicar a diplomática nos documentos contemporâneos. Para isso, Rosa Maria aplicou os conceitos de diplomática, tipologia, autenticidade entre outros para execução da análise dos vídeos produzidos pela TV senado, fazendo a análise diplomática e tipológica desses documentos analisando os elementos internos e externos, o trâmite documental, os produtores dos documentos, os receptores, enfim todos aqueles que por algum motivo poderiam ter alguma relação direta ou não com a criação desses documentos. Fez esse trabalho com o objetivo de entender melhor a sua proveniência e dessa maneira poder dar uma melhor classificação e organização aos mesmos sem retirá-los de seu contexto e podendo ligá-los aos outros documentos em outros suportes que também possuem uma estreita relação com o seu conteúdo (no caso dela as gravações e vídeos da tv senado com os relatórios que eram editados pelos parlamentares antes de serem publicados no diário oficial, documentos que não tinham nenhuma relação quando classificados, porém que originalmente tem uma relação absurda, já os relatórios só nascem após os parlamentares ouvirem e assistirem as gravações e vídeos respectivamente).

    ResponderExcluir
  21. Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos utilizou a literatura de Luciana Duranti como referência em seu trabalho com os registros das sessões plenárias do Senado Federal. A estruturação do documento de Arquivo, como propõe Duranti, foi utilizada para analisar os documentos por partes, analisando os aspectos internos e externos dos documentos. Utilizando da análise tipológica proposta por Duranti, Rosa Maria analisa as características dos documentos de Arquivo como a imparcialidade, atenticidade, unicidade e interrelacionamento. Outras traços do trabalho de Duranti na tese de Rosa Maria são as definições de Diplomática Geral e Diplomática Especial. Rosa Maria aplica a Diplomática aos documentos contemporâneos o que faz com que a análise do documento chegue mais próximo do seu contexto de criação.

    ResponderExcluir
  22. O objetivo de Rosa Maria no desenvolvimento de sua dissertação é identificar o contexto de produção e o produtor dos documentos que são produzidos sobre a sessão plenária do Senado Federal (vídeos analógico) e fazer uma análise tipológica dos mesmos. Como a tipologia parte da diplomática para definir o que é documento, a autora trabalha com o modelo utilizado por Luciana Duranti em que são apresentados uma série de elementos que compõe a estrutura do documento de arquivo. Rosa afirma que para fazer uma análise crítica, a Diplomática estabelece princípios que levem consideração as partes externas e internas de um documento. A definição de regras para a identificação de elementos que compõe a estrutura formal do documento é fundamental para constatar a sua autenticidade, uma vez, que ele é produto da atividade que o gerou e reflete todos os processos e procedimentos que fizeram parte de sua formação.

    ResponderExcluir
  23. Atendendo a Reclamações do Defunto Mãe:

    O alvo da pesquisa de Rosa Maria foram os documentos áudio visuais da TV Senado, por isso a autora pesquisou os elementos característicos desses documentos para analisar diplomaticamente.
    A autora, também, faz uma análise tipológica por considerar que a análise tipológica nasce da análise diplomática.

    ResponderExcluir
  24. A autora baseia-se nos estudos de Duranti para analisar os documentos por partes, buscando identificar alguns elementos de estruturação dos documentos de arquivo em uma analise tipológica. Identifica autenticidade, imparcialidade, naturalidade, inter-relacionamento e unicidade como características de documentos de arquivo seguindo as ideias de Duranti. A autora fala ainda em buscar conhecer o contexto dos documentos através da aplicação da diplomática contemporânea e análise de trâmite.

    ResponderExcluir
  25. Através dessa análise pode-se definir a proveniência, autenticidade e confiabilidade do documento para que se tome os procedimentos adequados de tratamento

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Na tese de Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos, é exposta sua pesquisa de como aplicar uma detalhada análise tipológica de documentos contemporâneos, no caso, o acervo videográfico do Senado. Para isso, ela utilizou como instrumento de análise, o modelo de Duranti. Os elementos externos possuem grande destaque na análise, mas pelo diferencial de documentos audiovisuais possuirem características específicas, tornando um pouco mais difícil aplicar uma análise diplomática completa, mas ainda sim possível em alguns elementos com o suporte, escrita, linguagem e sinais.
    Para que seja feita uma análise mais profunda e crítica, é necessário também que os elementos internos como o protocolo, o texto de entrada e marcas de inicio e fim dos videos, enfim, suas ações e os processos que o criaram, seja reflexo de sua função.

    ResponderExcluir
  28. Rosa Maria Gonçalves Vasconcelos em sua dissertação Análise Tipológica dos Registros Videográficos Másteres das Sessões Plenárias do Senado Federal utiliza em seu trabalho algumas características atribuída por Luciana Duranti, uma delas é a naturalidade dos registros documentais. A Naturalidade é a maneira como os documentos são acumulados naturalmente nos escritórios em função dos objetivos práticos da instituição de forma contínua e progressiva.

    Não havia para os registros videográficos das Sessões uma metodologia de classificação, por isso a autora em seu trabalho procurou elaborar uma classificação com base na razão pela qual o documento foi criado e não por assuntos, suportes ou outros tipos, permitindo assim divisar os docuemntos que mantêm os vínculos orgânicos mais próximos.

    E partindo dessa característica da naturalidade procurou entender o documento e por sua vez a diplomática e a tipologia dos documentos, ou seja, os aspectos internos e externos. E esses estudos possibilitaram a autora elaborar uma análise do tipo documental envolvendo a autenticidade, a naturalidade o inter-relacionamento e a unicidade.

    Viviane Viana

    ResponderExcluir
  29. A dissertação de Rosa Maria tem como objetivo a identificação do contexto de produção dos documentos, que no caso foram analisados os documentos áudio visuais produzidos no plenário da instituição e gravados pela TV Senado.
    A autora teve como base os estudos da Diplomática e da Diplomática Contemporânea de Luciana Duranti, que analisa os documentos em si, assim como suas características internas e externas dos documentos. A mesma também discute a importância da analise do documento desde sua produção, seu trâmite e seu contexto de criação. E como estudos como esse somam em trabalho como de Rosa Maria, na TV Senado, podendo desenvolver ferramentas para um melhor tratamento( tanto físicos quanto intelectual) na documentação analisada.

    ResponderExcluir
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  31. A dissertação de Rosa Maria tem por princípio a utilização dos conceitos e metodos propostos por Duranti (e outros autores) para análise diplomatica e tipologica de uma série documental (Registros Videograficos Masteres das Sessões Plenárias do Senado Federal), o que possibilitou estudar o documento em partes, considerando seus elementos internos e externos,para um completo entendimento destes, e com a identificação do produtor e mapeamento do tramite documental desta série foi possivel identificar o processo e atividade geradora do documento, o que, por sua vez, forneceu bases para a determinação da classificação e avaliação destes.

    ResponderExcluir
  32. A autora da dissertação Rosa Maria Gonçalves aplicou em seu trabalho proposta apresentadas pela Luciana Duranti. A análise tipológica é a base de seu trabalho, ela apresenta o estudo do documento por partes, mostrando os aspectos internos e externos do mesmo.
    Identifica o produtor do documento, contextualizando desde sua criação ao trâmite exercido pelo mesmo, no que diz respeito à função que o documento exerce, ela identifica o processo e o contexto que este foi inserido. Estabelece as séries e determina a classificação.
    A autora também fala da inter-relação dos documentos, desde o momento de sua criação ou do seu recebimento. Compara a Diplomática, a Diplomática Contemporânea e a Tipologia Documental dentre outras. É feito a análise profundo do documento, aponta como um dos principais pontos a análise do trâmite, pois para a autora e apartir desse que se torna possível entender o contexto em que o documento foi inserido.

    ResponderExcluir
  33. Contribuindo sobremaneira para a construção e consolidação do conceito de Diplomática contemporânea, combinando as práticas da Diplomática medieval (bastante alinhadas à paleografia no estudo da estrutura física do documento) com os princípios elementares da Arquivologia (tais como princípio da proveniência e respeito à ordem original e o caráter comprobatório do documento de arquivo), o trabalho de Luciana Durati pode ser visto claramente como referência elementar na dissertação de Rosa Maria Vasconcelos, como a própria autora afirma na apresentação de seu trabalho.

    Vasconcelos, investigando "a possibilidade de se proceder à organização arquivística dos documentos referentes à gravação e à cobertura jornalística das sessões legislativas do Senado Federal, feitas pela TV Senado", valeu-se da metodologia defendida por Duranti de se analisar o documento diplomática e tipologicamente, conhecendo-o em suas características externas e internas, conhecendo seu trâmite e reconhecendo sua contextualização, para então somente proceder à organização e classificação.

    "O estabelecimento da Tipologia Documental foi feito focalizado a) no documento, contendo os elementos informacionais que contemplam as características extrínsecas e intrínsecas do documento; b) na informação, definindo os elementos que contemplam as particularidades da imagem; e c) no usuário, definindo os elementos informacionais que contemplam as necessidades de uso da informação e do documento pelo produtor, por outros usuários afins e pelo processo legislativo." (VASCONCELOS, 2009, p 19)

    ResponderExcluir
  34. A autora Rosa Maria utiliza em sua tese de dissertação idéias concretizadas de Luciana Duranti, além de várias outras fontes, para o estudo de documentos por partes, analizando desta forma, aspectos internos e externos, identificando o produtor do documento, seu contexto de criação e trâmite. E desta forma permitiu-se então fazer o levantamento da atividade e o processo que gerou tal documento, definir as séries e determinar a classificação.
    A autora ainda toca no ponto da organicidade dos documentos, do seu inter-relacionamento, na qual Duranti afirma que os documentos estão ligados entre si desde o momento de sua criação (produzidos ou recebidos).
    A autora utiliza diversos conceitos como a diplomatica geral, diplomatica especial e diplomática contemporanea. traz a definição de tipologia documental e faz a relação deste com a diplomática.

    ResponderExcluir
  35. Após a leitura da dissertação da Rosa Maria é possível depreender que os estudos e análise proposta por Luciana Duranti foram fundamentais para a conclusão da sua tese. Luciana Duranti, no cap.5 relata sobre os elementos externos da forma documental (análise diplomática) que são os que constituem o caráter material do documento como o suporte, a escrita, "las anotaciones" entre outros que também fazem parte da análise proposta pela Rosa no quadro 1 páginas 26 e 27.Duranti(1996) também relata sobre os elementos internos da forma documental que "se considera que son todos los componentes de su articulación intelectual" que envolve a análise tipológica que está envolvida a função/atividade/finalidade para o qual foi produzido aquele documento. Além dos elementos citados anteriormente e além dos outros expostos no quadro, Rosa Maria também teve por base os conceitos da diplomática que a Duranti se preocupa durante o seu texto.
    Todos os conceitos, não só da Duranti, como também da Belloto, as orientações do André, entre outros foram de extrema importância para a tese da Rosa visto que a finalidade do seu trabalho é analisar os vídeos produzidos pela TV senado para aplicar conceitos trabalhados em todos os trabalhos citados na sua dissertação e inclusive no dela obviamente como a origem/proveniência e a gênese de cada vídeo para o devido tratamento desses documentos para uma melhor classificação, avaliação e descrição, pois passados esses por um devido tratamento atingirão o objetivo de dar acesso ao usuário.

    ResponderExcluir
  36. A autora propõe em sua dissertação a organização arquivística das gravações feitas pela TV Senado a partir da análise tipológica apresentada por Luciana Duranti. O estudo tipológico, ao tratar das características extrínsecas e intrínsecas dos documentos, auxilia a identificação da autenticidade, assim como do contexto de produção. O conhecimento diplomático e tipológico possibilita uma análise minuciosa, observando-se as questões de proveniência, criação e tramitação. Permite, também, propor uma classificação, avaliação e descrição mais adequada com vistas a uma organização mais eficiente para a instituição e para o cidadão.

    ResponderExcluir

clique para comentar